quinta-feira, 10 de setembro de 2009



Denúncia! Espalhem!

A ESCOLA LIVRE DE TEATRO, projeto artístico-pedagógico que se
afirmou como referência para a formação de atores no Brasil e que
se aproxima agora dos seus 20 anos de enraizamento na cidade de Santo
André, acaba de sofrer um golpe violento: seu coordenador, o ator
Edgar Castro, foi sumariamente demitido – para que novamente se
plante a velha e já conhecida política de desmantelamento dos
quadros críticos que ali atuam e que têm conduzido com diferencial
criativo a trajetória da Escola.

É assustador, mas nada novo: foi exatamente
assim que as coisas aconteceram há aproximadamente dezessete anos
atrás, quando houve a chegada do prefeito Newton Brandão (PSDB) ao
poder. Este prefeito e seus secretários brutalizantes realizaram a
mesma operação de desmanche da ELT agora proposta – criando
intervenções absurdas e condições precárias de trabalho que
feriram frontalmente a manutenção de seu projeto pedagógico.

Um projeto contundente como este (radical desde seu nascedouro,
quando foi parido pela artista Maria Thaís Lima Santos, hoje
professora doutora da USP; e coerentemente transformado pela
experiência, pelos seus diversos mestres, em todos estes anos), para
se preservar, não pode dialogar com a descarada mediocridade de
idéias e, muito menos, com a mera reprodução de modelos falidos
que vigoram nos sistemas educativos corriqueiros.

A ELT nasceu e sempre foi diferente e é justamente sua diferença
o que lhe confere os louros amplamente colhidos como “projeto que
deu certo na cidade de Santo André” e que se tornou referência
nacional de ensino de teatro (hoje, chegam pessoas de todo o país
para estudar na Escola Livre).

Não bastasse a plena e profunda
desaprovação de toda a comunidade da Escola em relação a esta
atitude autoritária, o que se percebe claramente é o sucateamento
do projeto radical de formação de atores (que sempre esteve baseado
no diálogo e na autonomia criativa – daí o nome “Livre” que
lhe consagrou).

Para piorar a situação, a atual Secretaria de Cultura (que se
gaba por produzir festas com música sertaneja na cidade) quer fazer
engolir, de cima pra baixo e irresponsavelmente, o descarado
clientelismo, impondo como figura de liderança para a Escola uma
amiga de infância do atual prefeito do PTB, Dr. Aidam. Esta senhora,
uma desajeitada tal de Eliana Gonçalves, é pessoa absolutamente
desqualificada para ocupar tão função e completamente desconhecida
nos meios teatrais (diferença brutal em relação aos atuais
mestres).

Que uma prefeitura não tenha bons projetos culturais,
especialmente quando eleita de supetão e susto, é até comum. Mas
quando a falta de projeto vem acompanhada de corrupção (quase
nepotismo!) e mediocridade, é ponto revoltante que deve ser
comunicado a toda a comunidade, na imprensa e no boca-a-boca
(especialmente em casos como este, já que o prefeito Dr. Aidam
prometeu, em sua posse, manter vivos os projetos que funcionassem bem
na cidade).

Hoje a Escola Livre de Teatro recebeu um duro golpe. Mas quem sai
machucada mesmo é a cidade de Santo André. Começamos a ver o rosto
do lobo por trás da máscara de cordeiro!

Festival da Canção do Cariri

Estão abertas as inscrições para o Festival da Canção do Cariri, que será realizado de 14 a 17 de outubro. O evento é destinado a estudantes do Ensino Médio, cursinhos pré-vestibulares, cursos técnicos e universitários, regularmente matriculados na rede de ensino público e privado da Região Metropolitana do Cariri, que integra Barbalha, Crato, Caririaçu, Farias Brito, Jardim, Juazeiro do Norte, Nova Olinda, Missão Velha e Santana do Cariri.

A comissão organizadora apresenta como tema de inspiração a Chapada do Araripe e Soldadinho do Araripe, uma ave em extinção, que se tornou símbolo de preservação. "O evento é um resgate dos festivais realizados na década de 70 que mobilizaram os músicos do Cariri na quadra Bicentenário", afirma a secretária de Cultura, Danielle Ferreira Esmeraldo. E completa, argumentando "não se trata de saudosismo, mas de um consenso acerca da importância de eventos para o fortalecimento da cultura musical.

Os festivais do Crato já revelaram uma geração de músicos e compositores que, ainda hoje, são referências da arte e da música caririense, como Abidoral e Pachelly Jamacaru, Cleivan Paiva, Luiz Carlos Salatiel, João do Crato, José Flávio Vieira, Luís Fidélis, Stênio Diniz, Rosemberg Cariry e Geraldo Urano.

Documentos No ato da inscrição, o candidato deverá entregar quatro cópias digitadas com o título da música, nome do compositor e letra na íntegra, um CD, ou DVD com a música gravada, partitura musical, ou letra cifrada, caso opte pela utilização da banda do Festival. O material deve ser enviado à Secretaria de Cultura e Esporte do Crato, Centro Cultural do Araripe, rua Teopisto Abaht, S/N.

Dentre os inscritos, serão selecionados para participar da fase eliminatória 30 músicas escolhidas por uma comissão de triagem composta por cinco pessoas de notório conhecimento musical. As eliminatórias serão realizadas de 14 a 16 de outubro, no Centro Cultura do Araripe, encerrando-se no dia 17.

O primeiro lugar ganhará um prêmio de R$ 3 mil; o segundo, R$ 2 mil; o terceiro, R$ 1 mil e o melhor intérprete R$ 800.

Mais informaçõesSecretaria de Cultura - Rua Teopisto Abaht, S/N - Crato http://www.crato.ce.gov.br/(88) 3523.2365

Prefeitura de Campos cobra por curso que já ofereceu de graça
O curso de Salvatagem que a Prefeitura de Campos está oferecendo aqui, com 50% de desconto (R$ 455,00), em parceria com a West Group, já foi oferecido gratuitamente pela Prefeitura de Macaé (aqui), pela de Quissamã (aqui) e, vejam só, pela própria Prefeitura de Campos, em 2007, aqui.

Vítor Menezes http://urgente.blogspot.com/


Professores do CEJOPA disse...
Caros blogueiros,Nós, professores do Colégio Estadual José do Patrocínio(CEJOPA), após reunião realizada no dia 09/09/2009, às 10h, nas dependências desta unidade de ensino, decidimos paralisar as atividades na instituição em repúdio às agressões sofridas por profissionais da educação na última terça-feira. A manifestação realizada em frente ao prédio da ALERJ, no Rio de Janeiro, contra o descaso das autoridades em relação à categoria foi reprimida violentamente, deixando 11 professores feridos.A decisão sobre a paralisação nesta unidade foi tomada pela maioria presente na reunião, e todos os professores se dirigiram às salas de aula com o objetivo de comunicar aos alunos sobre a posição adotada. Buscamos ainda conscientizá-los a respeito do comprometimento de todos, docentes e discentes, na luta por uma educação responsável e de qualidade.Finalmente, estaremos reunidos amanhã, 11/09, às 7h30min, a fim de apurarmos os resultados deste ato, reafirmando uma posição de alerta contra todas as atitudes que ameacem a construção de um projeto de sociedade livre, justa, ou que não considerem a educação como princípio básico.

Publiquem, se puderem!

TRATAMENTO DE CHOQUE NOS PROFESSORES
“Num país de prioridades corretamente encaminhadas pelo atual governo, é natural que seus representantes eleitos por voto popular.” Por Elenilson Nascimento

Eu digo e repito: a educação nesse país de “bagaça” não existe! Enquanto na Bahia, alunos da rede estadual de ensino ficarão praticamente sem aulas nessa semana em razão de uma paralisação dos professores por 48 horas, iniciada nesta quarta-feira, 09/09, em protesto contra "enturmação" proposta por esse governo de “bagaça”, no Rio de Janeiro, policiais e professores entram em confronto durante manifestação no Centro. O número de feridos durante o confronto entre os “capitães do mato” e os professores, na tarde desta terça-feira, 08/09 não entra na lista de estatísticas de violência da cidade do Rio de Janeiro. Talvez porque meter o sarrafo em professores seja algo tão comum que não deva mesmo entrar em lista alguma.

Segundo a professora e poetisa Inês Pereira, que também faz parte dos “Poemas de Mil Compassos” (2009): “Os profissionais da educação foram recebidos como verdadeiros heróis na Alerj. Tratados com todas as regalias pelos policiais, muitos não resistiram e desmaiaram emocionados. Alguns ficaram com os olhos lacrimejantes de tanta comoção. Muitos aposentados, comovidos foram socorridos com rapidez, com toda dignidade que um mestre merece, pelo seu esforço, após o encerramento de seu sacerdócio”, disse a professora indignada e ironizando a situação lastimável.

Elenilson Nascimento http://poemasdemilcompassos.blogspot.com


Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná