segunda-feira, 21 de setembro de 2009






Militares cercam embaixada brasileira
em Tegucigalpa e expulsam manifestantes
Do UOL Notícias*Em São Paulo
Militares de Honduras cercaram na manhã desta terça-feira (22) a embaixada brasileira em Tegucigalpa, onde permanece o presidente deposto, Manuel Zelaya, e obrigaram a retirada dos manifestantes que passaram a noite em frente ao edifício, segundo a agência de notícias AFP.
Brasil deve entregar Zelaya para a Justiça de Honduras?
Opine aqui
Soldados e policiais hondurenhos, muitos com o rosto coberto por gorros, chegaram ao local por volta das 6h (9h, horário de Brasília) e lançaram gás lacrimogêneo e atacaram com cassetetes cerca de 4.000 simpatizantes de Zelaya.O governo interino de Honduras declarou toque de recolher em todo o país, após a confirmação de que Zelaya tinha retornado a Tegucigalpa. Inicialmente, o toque de recolher foi estabelecido das 16h às 7h00 no horário local (entre 19h e 10h, no horário de Brasília), segundo comunicou o governo golpista em cadeia de rádio e televisão. Pouco depois, a medida foi estendida até às 18h locais da terça-feira (22). O porta-voz do Departamento de Segurança, Orlin Cerrato, disse que a área em torno da embaixada está sob controle das autoridades desde a manhã desta terça-feira (22). Não foi informado se há presos ou feridos.Após expulsar os manifestantes, a polícia colocou amplificadores voltados em direção à embaixada brasileira e tocaram o hino nacional de Honduras de forma estridente, disse Zelaya. "Os militares colocaram sons estridentes para tentar enlouquecer as pessoas que estão dentro da embaixada", acrescentou.Zelaya, que retornou na segunda-feira (21) a Tegucigalpa em um movimento surpresa, recebeu autorização da chancelaria do Brasil para se abrigar na embaixada brasileira em Honduras. Toda embaixada possui status de território estrangeiro, e por isso a polícia e o exército hondurenhos não podem entrar no local sem autorização.Brasil espera solução rápidaO chanceler Celso Amorim disse na tarde desta segunda-feira (21) que o Brasil espera uma solução rápida para a crise política em Honduras, após o regresso do presidente deposto."Esperamos que isso [o retorno de Zelaya] abra uma nova etapa nas discussões e que uma solução rápida, baseada no direito constitucional, possa ser alcançada", declarou Amorim a jornalistas em Nova York.Segundo o chanceler, "o Brasil não teve nenhuma interferência" na volta de Zelaya, limitando-se a conceder-lhe a permissão para entrar na embaixada brasileira em Tegucigalpa, que foi "solicitada uma hora antes de sua chegada"."O presidente disse que chegou a Honduras por meios próprios e pacíficos", indicou Amorim, acrescentando que não tem maiores detalhes sobre como o presidente deposto retornou ao país.Amorim também disse ter conversado com o secretário-geral da OEA e com o governo norte-americano para que fosse garantida toda a segurança para Zelaya e para os funcionários da embaixada brasileira em Tegucigalpa.

CANÇÕES DO ESTÚDIO REALIDADE

O poeta, cantor, compositor e tradutor Rodrigo Garcia Lopes apresenta, no dia 22, terça-feira, às 20h30, no auditório do SESC Vila Mariana, em São Paulo, o show Canções do Estúdio Realidade que traz canções de seu primeiro CD, Polivox, e músicas inéditas que farão parte de seu próximo disco, firmando um diálogo entre a canção brasileira e experimentos sonoros e ritmos como blues, jazz e funk, que tem sido a marca de seu trabalho.
O show traz, num mesmo contexto, a diversidade sonora e riqueza poética ao explorar a relação entre som e sentido, abrigando linguagens e universos que vão da MPB ao blues, da música trovadoresca ao jazz, do reggae ao funk.
No repertório, músicas como as inéditas "Vertigem", "New York", "Rito".
Formação: Rodrigo Garcia Lopes (voz, violão,)
Marco Scolari (teclado, acordéon e efeitos eletrônicos)
e Eduardo Batistella (bateria).
Myspace (músicas)
http://www.myspace.com/ogirdor2009

SÉRIE PROSÓDIAS
Rodrigo Garcia Lopes. Dia 22/09/2009, terça, às 20h30
Ingressos à venda em todas as unidades do SESC a partir do dia 01 de setembro.
R$ 12,00 (inteira);
R$ 6,00 (usuário inscrito no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino);
R$ 3,00 (trabalhador no comércio de bens e serviços matriculado no SESC e dependentes); Auditório (131 lugares).
Duração: 75 minutos.
SESC Vila Mariana. Rua Pelotas, 141.
Informações: 5080-3000 http://www.sescsp.org.br/

Noite do Vinil Funk Metal
dia 23/09/2009, 4ª feira - 22hs na Taberna Don Tutti - Rua das PalmeirasCcom acervo e comando do DJ Juca. O Funk metal é uma forma de rock alternativo, que mescla técnicas canoras e riffs característicos do metal e funk. Caracteriza-se pelo uso de riffs bastante pesados típicos do heavy metal, o baixista toca ritmos característicos de funk (incorporando a técnica do slap às vezes em rock alternativo, os compositores se aproximam de rimas "estilo-hip hop".
A noite contará com acervo e comando do DJ Juca.
Exemplos: Eric Burdon, Infectious Grooves, Primus, Red Hot Chili Peppers (primeiros trabalhos), Incubus (primeiros trabalhos), Living Colour, Rage Against the Machine e Faith No More.
Origens estilísticas: Funk, Funk rock, Heavy metal, Ocasionalmente Rap metal
Contexto cultural: meados da década de 1980, Estados Unidos
Instrumentos típicos: Baixo - Guitarra eléctrica - Bateria - Teclado - Voz - Rap
Popularidade: Moderada, Baseada nos Estados Unidos
Gêneros de fusão: Nu metal
leiamais aqui: http://noitedovinil.blogspot.com/

Honduras pede que Brasil entregue Zelaya à Justiça
Do UOL NotíciasEm São Paulo
O governo interino de Honduras pediu na tarde desta segunda-feira (21) ao Brasil que entregue o presidente deposto, Manuel Zelaya, para ele possa ser submetido à Justiça hondurenha, informou a agência AFP.
Zelaya, que retornou hoje a Tegucigalpa em um movimento surpresa, recebeu autorização da chancelaria do Brasil para se abrigar na embaixada brasileira em Honduras. Toda embaixada possui status de território estrangeiro, e por isso a polícia e o exército hondurenhos não podem entrar no local sem autorização.
"É inaceitável para o governo [interino] a conduta de tolerância [do Brasil] ao permitir que a partir de sua sede [diplomática] sejam formulados chamados públicos à insurreição e à mobilização política por parte do senhor José Manuel Zelaya Rosales, um fugitivo da Justiça hondurenha", diz uma nota oficial do governo golpista de Honduras dirigida à embaixada do Brasil.
O comunicado acrescenta que "tal ingerência em assuntos internos é condenável, e por este motivo protestamos contra ela de maneira enérgica". "A tolerância e a provocação que se realiza a partir das instalações da representação do Brasil são contrárias às normas do direito diplomático, e converte a mesma e seu governo em responsáveis diretos pelos atos violentos que possam ocorrer dentro e fora dela", prossegue a nota.
BBC entrevista Zelaya: Como você chegou a Honduras?
De maneira pacífica e voluntária. Eu contei com o apoio de diversos setores, mas não posso mencioná-los para que não sejam prejudicados. Nós viajamos mais de 15 horas, em uma estratégia complexa de transporte e comunicação, atravessamos rios e montanhas até que chegamos na capital de Honduras, onde chegamos nas primeiras horas da manhã. Nós ultrapassamos todos os obstáculos militares e policiais das estradas daqui, porque esse país foi sequestrado por forças militares
Leia a entrevista completa
Por sua vez, Zelaya disse que ninguém voltará a tirá-lo do país. "Nossa posição é pátria, restituição ou morte", enfatizou Zelaya diante dos milhares de simpatizantes que permanecem em frente à embaixada, onde o líder deposto está desde as primeiras horas de hoje.
Zelaya anunciou que está "comprometido com o povo hondurenho" e que ele e seus seguidores só deixarão a embaixada quando a "ditadura" cair. Brasil espera solução rápida. O chanceler Celso Amorim disse na tarde desta segunda-feira (21) que o Brasil espera uma solução rápida para a crise política em Honduras, após o regresso do presidente deposto.
"Esperamos que isso [o retorno de Zelaya] abra uma nova etapa nas discussões e que uma solução rápida, baseada no direito constitucional, possa ser alcançada", declarou Amorim a jornalistas em Nova York.Segundo o chanceler, "o Brasil não teve nenhuma interferência" na volta de Zelaya, limitando-se a conceder-lhe a permissão para entrar na embaixada brasileira em Tegucigalpa, que foi "solicitada uma hora antes de sua chegada".
"O presidente disse que chegou a Honduras por meios próprios e pacíficos", indicou Amorim, acrescentando que não tem maiores detalhes sobre como o presidente deposto retornou ao país.Amorim também disse ter conversado com o secretário-geral da OEA e com o governo norte-americano para que fosse garantida toda a segurança para Zelaya e para os funcionários da embaixada brasileira em Tegucigalpa.

EUA pedem que presidência seja devolvida a ZelayaA secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, também se manifestou na tarde de hoje pela restituição de Zelaya ao cargo de presidente. "Agora que o presidente Zelaya voltou, seria oportuno lhe devolver o cargo" e "seguir adiante com as eleições previstas para novembro, com uma transição pacífica de presidentes e o retorno da ordem democrática e constitucional a Honduras", disse Clinton à imprensa em Nova York.
"É imperativo que o diálogo comece (?) que exista um canal de comunicação entre o presidente Zelaya e o governo interino de Honduras", acrescentou a chanceler. "É também imperativo que o retorno do presidente Zelaya não implique em conflito ou violência, mas que todos ajam de modo pacífico para tentar achar uma posição comum", afirmou Clinton."Fim do golpe em 24 horas "Para os manifestantes que se reúnem em Tegucigalpa para apoiar o presidente deposto, o governo interino de Roberto Micheletti está prestes a acabar. "É muito difícil que o regime golpista possa se manter por mais de 24 horas no poder.
As forças armadas teriam que fazer um banho de sangue para conseguir isso", declarou Juan Barahona, coordenador geral da Frente Nacional contra o Golpe de Estado de Honduras, a uma televisão pública venezuelana.
As redes de televisão "Cholusat", com sede em Tegucigalpa, e "Telesur", com sede em Caracas - ambas favoráveis ao retorno de Zelaya - transmitiram durante a tarde imagens de uma multidão reunida na frente do edifício da embaixada brasileira em Honduras. Mais cedo, Zelaya apareceu de dentro da embaixada para saudar os manifestantes.
"A capital Tegucigalpa será inundada de gente", declarou Barahona. "Agora mesmo esta região está um mar de gente e mais caravanas de deslocam desde outras regiões do país."O líder pró-Zelaya também adiantou que o objetivo dos manifestantes é conduzir Zelaya desde a embaixada do Brasil até a sede do governo.
Toque de recolher O governo interino de Honduras declarou toque de recolher em todo o país, após a confirmação de que Zelaya tinha retornado a Tegucigalpa. Inicialmente, o toque de recolher foi estabelecido das 16h às 7h00 no horário local (entre 19h e 10h, no horário de Brasília), segundo comunicou o governo golpista em cadeia de rádio e televisão. Pouco depois, a medida foi estendida até às 18h locais da terça-feira 22. Apesar do decreto, a multidão de apoio a Zelaya não se dispersou, segundo informações da Telesur.
Na manhã de hoje, quando começaram a surgir as primeiras informações sobre o retorno de Zelaya, o governo de Micheletti tinha negado que o presidente deposto estaria de volta e acusou os veículos de imprensa de "terrorismo midiático".

poesia:
tesão teu nome
transforma ritual & gesto
não presto porque te amo
te amo porque não presto

artur gomes
http://multiartecultura.blogspot.com/

POESIA É TERRÍVEL SOERGUIMENTO

Meus caros: ser poeta é, de algum jeito, preservar a inocência e a rebeldia ?seja diante do branco do papel ou diante da solitária tela do micro. É estar desarmado, desamparado, mas indignado e cheio de energia para enfrentar o vazio e o nada e a partir daí criar o jardim que não existe, a flor que não existe, o mundo que não existe. Ser poeta é, inquestionavelmente, negar o existente. É propor aquilo que ainda não existe. Mas é também não refugiar-se em mero jogo de palavras ou em malabarismos verbais, cujo único fim é reduzir o mistério poético ao nível do racional e do prosaico.Convido-os a lerem o texto completo dessa conversa que tivemos, no dia 8 de agosto, no Lugar Pantemporâneo, ocasião em que foi lançado mais um livro da coleção Melhores Poemas, dirigida por Edla Van Steen. Desta vez, o homenageado foi Lindolf Bell, poeta que se tornou celebridade nos anos 60, graças ao movimento que criou: a Catequese Poética. Para quem não sabe, a finalidade da Catequese Poética era levar a poesia ao conhecimento do grande público em lugares imprevisíveis como boates, clubes, escolas, praças, teatros, faculdades, sindicatos, livrarias, bares,etc. O texto está no blogue site www.rubensjardim.com item Meu Diário.

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná