domingo, 23 de maio de 2010

o mundo está cada vez mais feio




"O mundo está cada vez
mais feio", diz Antonio Abujamra

ALYSSON OLIVEIRA
Especial para o UOL, do Cineweb

O ator, diretor, entrevistador e, acima de tudo, provocador profissional Antonio Abujamra não é um homem de meias-palavras. Isso é bem sabido. E quando começa a entrevista por telefone com o UOL Cinema deixa logo claro: “Fala mais alto, eu não ouço direito. Estou velho e decrépto”.

Se é brincadeira ou não, pouco importa. A verdade é que em pouco mais de 15 minutos de conversa, Abu, como é mais conhecido, faz questão de frisar: “O mundo está cada vez mais feio”.

Com quase 78 anos, Abujamra é conhecido tanto pela sua perspicácia quanto pelo mau humor, ou talvez, um sarcasmo e acidez disfarçados de carranca. Ele conta que quando foi convidado por Ugo Giorgetti (“Boleiros”) para fazer um monólogo no cinema, “Solo”, disse que não iria aceitar, apesar da amizade de longa data com o diretor, com quem trabalhou em “Festa” (1989).

“Você quer acabar com a minha carreira, eu disse para o Ugo. Nem Laurence Olivier aguentava um monólogo no cinema”. Claro que a frase, no original, foi complementada por verbos e substantivos impublicáveis, mas facilmente imagináveis.

Em “Solo”, Abujamra é a única pessoa em cena, em pouco mais de uma hora de filme. Nas suas falas, destila os seus comentários sobre o estado das coisas. Embora pelo tom do texto e das confissões seja difícil de acreditar, o roteiro é unicamente de Giorgetti, que, segundo o ator, não o deixou mexer em uma única palavra. “Ele se acha um grande escritor”, ironiza. Mas, quando perguntado se não compartilha da descrença do personagem, o ator não pensa duas vezes: “A esperança e o sonho não devem passar de uma noite”.

Aliás, Abujamra logo emenda que foi o sonho que deixou a América Latina “no estado em que está”, para usar um eufemismo no lugar do verbo empregado na frase original pelo ator, mas, novamente, impublicável. “O governo nunca valorizou a inteligência no nosso país. O estado do Brasil é resultado da estupidez dos governantes, dos arquitetos, dos intelectuais, dos jornalistas... de todo mundo. É a nossa estupidez”.

LEIA MAIS

"Fazer cinema no Brasil está me deixando um cara pior", diz Ugo Giorgetti
Blog do Mauricio Stycer: Giorgetti questiona critérios de seleção de projetos de Paulínia

O solo na tela parece também funcionar como uma metáfora para aquilo que Abujamra espera da vida. “Tenho uma visão muito crítica do mundo. É uma solidão por opção mesmo. O mundo está cada vez mais feio”, repete. Quando fala do filme, ele conta que, entre seis e oito dias, foram gravadas cercas de 100 horas de material bruto, que Giorgetti montou com Marc De Rossi. E parece torcer para que seu mau humor, seus comentários ácidos sobre o mundo, a idade, o Brasil incomodem as pessoas. “Durante 15 minutos o público vai se interessar. Podem até rir um pouco. Mas depois vão acabar se entediando. Alguns talvez até saiam do cinema”.

Dez minutos de entrevista e ele já quer desligar. Tentando encerrar, solta um verso do poeta francês Paul Valéry: “’Os acontecimentos me enojam’. É exatamente isso que eu penso. Anotou? É do Paul Valéry”, se certifica depois de citar a frase mais de uma vez. Frase anotada, e mais perguntas pela frente. Ele só se anima a responder com a promessa de que é a última: Ravengar, seu personagem da novela “Que Rei Sou Eu?” (1989), ainda é o mais famoso de sua carreira? “Sim, até hoje as pessoas se lembram dele, e me param na rua para falar comigo como se fosse ele”.

Quando perguntando, então, se acredita que a novela, naquela época, retratou tão bem o momento político do Brasil, Abujamra, do alto de seu divertido mau humor, dispara: “Você tinha dito que aquela era a última pergunta, e agora já está fazendo a terceira. Ah, muito obrigado. Abraços”. E desliga.


Dilma cresceu em todas as regiões do país

petista é líder isolada no Nordeste, Norte e Centro-Oestetucano Serra ganha bem no Sudeste, mas empata no Sulabaixo, as principais tabelas com estratificações do Datafolha aqui, todas as pesquisas eleitorais de todos os institutos.

A pesquisa de intenção de voto para presidente realizada pelo instituto Datafolha nos dias 20 e 21 de maio revela que Dilma Rousseff (PT) melhorou sua pontuação em todas as regiões do país.

A petista na soma geral está agora empatada com José Serra (PSDB), ambos de 37%.

Mas essa pontuação de ambos varia de acordo com a região pesquisada. A edição da "Folha de S.Paulo" de hoje (23.mai.2010) traz a reportagem completa e dados sobre a estratificação da pesquisa Datafolha (aqui, para assinantes da "Folha" e do UOL). O blog preparou algumas tabelas mostrando detalhes do levantamento.


A seguir, a tabela com os dados de intenção de voto por região do país:Como se observa, Dilma cresceu de 7 a 9 pontos em todas as regiões. Já Serra caiu de 4 a 10 pontos. O principal reduto do tucano continua sendo o Sudeste. A petista se segura no Nordeste, exatamente a região na qual o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a melhor avaliação (85%).O Datafolha fez um cruzamento das intenções votos e da opinião dos eleitores sobre a popularidade de Lula.

Eis a tabela:Até abril, Dilma e Serra estavam empatados tecnicamente entre os eleitores que consideram o governo Lula “bom” ou “ótimo”. Agora, a petista se isolou à frente com 45% entre os que aprovam a administração lulista. O curioso é Serra ter 32% nesse universo de eleitores pró-Lula (ele perdeu 4 pontos desde a última pesquisa).

Serra ainda é, de longe, o candidato a presidente mais bem conhecido pelos eleitores.

É claro que a esta altura, faltando pouco mais de 4 meses para a eleição do dia 3 de outubro, quase todos os eleitores já ouviram falar um pouco dos principais concorrentes. Mas quando se pergunta se o eleitor realmente conhece os políticos na disputa, a coisa muda de figura.

fonte: Fernando Rodrigues: www.uol.com.br
Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

convite a um exercício de cidadania

Entenda toda a questão que envolve
A construção do CEPOP – Centro de
Eventos Populares (ou Sambódromo) -
Na área do
“Vila da Rainha”.
É muito bom, para termos a dimensão
Do que esses adquirentes estão pas-
Sando, nos colocarmos no lugar de
Um deles: e se fôssemos nós, que
Tivéssemos adquirido um terreno lá?
A nossa indignação talvez fosse maior...

PELO EMBARGO DAS OBRAS DO CEPOP JÁ!


Caros amigos, como nos pediram aí está o pequeno histórico de nossa luta. Solicito que nos ajude a divulgar e entrem na briga conosco. Como?

TERÇA-FEIRA DIA 25/05/2010
ÀS 17 HS HAVERÁ UMA AUDIÊNCIA NO MPE COM O PROMOTOR DR. MARCELO LESSA BASTOS.

CONVIDAMOS A TODOS OS INSATISFEITOS COM A OBRA CEPOP QUE COMPAREÇAM.
PEDIMOS O EMBARGO DESTA OBRA, COM MANDADO DE SEGURANÇA, COM PEDIDO DE LIMINAR E PEDIDO DE IMEDIATA PARALIZAÇÃO DAS OBRAS, PRESERVANDO OS DIREITOS DE TODOS OS ADQUIRENTES DA VILA DA RAINHA E DOS CONDOMÍNIOS E BAIRROS DO ENTORNO.

ESTAMOS EM BUSCA DE UMA MOBILIZAÇÃO. SÓ DEPENDE DE VOCÊS. LIGUEM PARA NOS ORGANIZARMOS.

P.S. O MPE MUDOU DE ENDEREÇO. AGORA ESTÁ ATRÁS DO FÓRUM NOVO. PORTANTO É IMPORTANTE CHEGARMOS CEDO.

A LUTA:

Em 1979 o Loteamento Vila da Rainha prometia ser um empreendimento de peso na cidade de Campos dos Goytacazes. Lançado pelo Grupo Othon, que prometia áreas verdes, escola, e até um Hotel 5 Estrelas, tudo fazendo parte do empreendimento. Sucesso de vendas, era o maior (cerca de 700 lotes) e o mais caro loteamento de Campos. Muitos dos compradores, médicos e profissionais liberais da alta sociedade campista.

Com o passar do tempo o sonho e as plantas feitas pelos engenheiros e arquitetos de diversos casarões fantásticos foram ficando no esquecimento, pois o loteador não cumpriu sua promessa e não terminou o loteamento. Não existe iluminação pública, água encanada e nada do que foi prometido. Muitos dos proprietários montaram ações contra o Grupo Othon e alguns ganharam e ainda ficaram com seus terrenos, outros ganharam e apesar de ter sido mandado pagar até hoje não receberam.

Muitos dos proprietários só tem recibo de compra e venda e não conseguem tirar a escritura definitiva até hoje. A grande maioria dos lotes tem IPTU pagos nestes 31 anos.

Todo loteamento ao ser feito se cauciona uma parte para caso o loteador não realize as obras, a Prefeitura se compromete e assim também aconteceu com o Vila da Rainha, que em seu Termo de Compromisso com a Prefeitura prometeu construir toda a infra-estrutura em 2 anos. Não o fez.

Em 1989, quando o Prefeito era o Sr. Anthony Garotinho, ele descauciona uma parte do Vila da Rainha, e faz um Complemento ao Termo de Compromisso. Mais tarde uma parte do Vila da Rainha (Todo o Setor 1) se torna o Hospital Veterinário da UENF. Assim como no Alargamento da Avenida Alberto Lamego. Continua sem nenhuma obra de infra-estrutura o loteamento.

Muitos documentos surgiram mostrando o enorme absurdo que se tornou este loteamento. E resolvemos buscar o apoio do Ministério Público Estadual munidos destes documentos. 4 audiências se deram. Muito foi questionado à Prefeitura. Sobre a falta das obras de infra-estrutura, iluminação pública, os OUT DOORS no Setor 6, que eles respondem ser regular mas não apresentam documentação, onde devia constar quem recebe pelo aluguel dos mesmos; e consideram a área como um entulhódromo.

No ano passado montamos a AADAVIDAR (Associação de Adquirentes do Vila da Rainha), como um incentivo de organização dos que se sentem lesados.

No final do ano passado nos deparamos com a novidade do CEPOP. Uma obra a ser realizada dentro do Loteamento Vila da Rainha, no Setor 2 (Zona Residencial segundo o Plano Diretor do Município- ZR-3 e a Lei de Uso e Ocupação do Solo).

Esta obra saiu no Decreto 313/09, sem falar a quem pertencem as duas áreas, até hoje não sabemos qual o valor pago por estas terras, que segundo consta no Cartório do 2° Ofício, são do Grupo Othon. No mesmo decreto fala de outras duas áreas que já pertencem a PMCG. Não se sabe quando foi desapropriada e qual o valor pago. Tudo isso está sendo cobrado incessantemente pelo Vereador Dr. ABdu Neme na Câmara Municipal e nenhuma resposta foi dada até o presente momento.

Outro detalhe interessante é o valor desta obra por metros quadrados. O espaço desapropriado para o SAMBÓDROMO (CEPOP) SOMA 74 MIL METROS QUADRADOS. E O VALOR É DE R$ 69.384.766,28. FAZENDO AS CONTAS: QUASE UM MILHÃO POR MIL METROS QUADRADOS.

Foi pedido um Laudo Pericial à FAFIC, que foi realizado pela Arquiteta e Urbanista Dra. Lídia Maria Tavares Martins, qu e afirma que a área onde já iniciaram as obras é o Setor 2 do Loteamento e que é ZR-3. E confirma com seu laudo pericial que o loteamento não foi concluído e confirma tudo o que temos afirmado.


Outro ponto importantíssimo: qualquer obra com mais de 10 mil metros quadrados é obrigado por lei a fazer prévio Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). Isso é Lei. O MPE solicitou esclarecimento a respeito da Prefeitura e o Procurador do Município Dr. Francisco Assis Pessanha, respondeu que nosso pedido de embargo da obra é IMPROCEDENTE e que o EIV seria realizado com toda a população de Campos.

Bem, considerando pelo próprio nome EIV deve ser realizado com os visinhos, com a área no entorno, que são os bairros e condomínios vizinhos.

O EIV até a data de hoje não foi feito, e o seu conselho SMMA/SMOU que institui a EQUIPE MULTIDISCIPLINAR, só foi publicada em portaria no dia 30de março de 2010 e nesta mesma data foi publicada em DO sobre os valores da obra (Contrato n° 019/10), que diz ser a OBRA EMERGENCIAL COM PRAZO DE 150 DIAS.

Gostaríamos de saber onde está a emergência, de uma obra ilegal, em zona residencial, ferindo diversas leis.
Gostaríamos de saber também o que falta para se instaurar a AÇÃO CIVIL PÚBLICA.

OS CAMINHÕES E TRATORES ESTÃO A PLENOS PULMÕES COMO SE DIZ. COMEÇAM OS TRABALHOS ÀS 6 DE MANHÃ.

AMPLA DOCUMENTAÇÃO SE ENCONTRAM EM NOSSOS PODERES. NOSSO PROCESSO (ICP 116/07) TEM MAIS DE 1.200 PÁGINAS.

QUEREMOS NOSSOS DIREITOS RESPEITADOS. QUEREMOS INTERVENÇÃO DO MPE E EMBARGO DAS OBRAS JÁ.

JUNTE-SE A NOSSA LUTA.

Grande abraço. Fátima Abreu
Contatos :
fatimarabreu@hotmail.com
Postado por Jane Nunes
http://estouprocurandooquefazer.blogspot.com




Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná