fulinaíma

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Avyadores do Brazyl nesta quarta





















O Projeto 4º Blues realizado pelo SESC Campos, recebe na próximaquarta-feira a banda Avyadores do Brazyl. A apresentação encerra o Projeto com chave de ouro e a decolagem está confirmada para começaràs 20h.

A entrada é franca. Os Avyadores estão realizando os últimos ensaios para levar o melhor do blues para os amantes desse gênero musical. O gênero ganhou força nos Estados Unidos, onde surgiu a partir doscantos de fé religiosa, chamadas spirituals e de outras formassimilares, como os cânticos, gritos e canções de trabalho, cantados pelas comunidades dos escravos libertos, com forte raiz estilística na África Ocidental.

Suas letras, muitas vezes, incluíam sutis sugestões ou protestos contra a escravidão ou formas de escapar dela. "O blues sempre foi umgênero musical presente em nosso repertório. Faremos uma apresentaçãobastante intimista e comentando sobre alguns grandes mestres doblues", adianta o "Avyador" Luiz Ribeiro.
Contato: 9961-1812


O efeito delay no Datafolha:
a diferença pode ser ainda maior Vox Populi e Sensus, apontaram as tendências bem antes

Pesquisa Datafolha aponta um rumo cada vez mais cristalizado: a vitória do projeto de continuidade do governo Lula, Dilma Roussef a primeira mulher a presidir o país. O problema do Datafolha, sem se ater sobre os candidatos, é que o Datafolha vem sempre atrás, colhendo resultados com delay, logo superados por outros institutos de pesquisas, até mesmo pelo Ibope, que também apresenta as tendências depois de Vox Populi e Sensus. O Datafolha é um instituto de pesquisas de opinião pública, vinculado ao jornal paulista, Folha de São Paulo, suspeitíssimo em seus editoriais conservadores, muito próximos das administrações tucanas em São Paulo, destacadamente de Alckmin até o governo Serra.

Crer que exista certa edição dos números poderia não ser um exagero, mas identificar que, nestas eleições, o Datafolha está com números publicados caducos, isto com certeza todos podem testemunhar. Foi o último órgão a mostrar Dilma a frente de Serra, até cerca de um mês atrás a oposição estava liderando e com perspectivas de vitória. Mas nos outros institutos esta perspectiva era quase nula, compare os resultados de final de julho e inicio de agosto dos quatro principais institutos de pesquisa:

Metodologia também capenga. João Francisco Meira, presidente do Vox Populi, aponta que a diferença entre os resultados dos institutos pode estar na metodologia e na amostra de entrevistados escolhidos. Vox Populi, por exemplo, as pesquisas são feitas através de parâmetros censitários apontados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística). O Vox Populi e o instituto Sensus chegam aos eleitores de áreas rurais no Brasil, Ibope e Datafolha não possuem tal alcance.
O Datafolha escolhe áreas onde existe maior circulação social, como uma padaria, uma praça ou uma zona comercial. Não fazem pesquisas domésticas, as entrevistas do Datafolha são feitas na rua, durante o horário de maior circulação de pedestres. “Pode parecer uma bobagem, mas num cenário de disputas ideológicas, o entrevistado está muito mais a vontade em responder uma pesquisa política em casa do que no meio da rua”, afirma Meira.



São João da Barra ganha Projeto Cine Mais Cultura.

O Grupo “Nós na Rua” surgiu em 10 de janeiro de 2003 tendo como princípio promover políticas culturais, levando toda espécie de movimento artístico às ruas e promovendo integração de jovens e adultos da cidade de São João da Barra através da re-educação cultural.
Reconhecido como utilidade pública pela Prefeitura do município em 2004, tornando-se assim Associação Cultural Teatral “Nós na Rua”.
Assim, iniciativas como o “Nós do Nós Filmes” e “Cine Clube do Nós” surgem na necessidade de novas propostas de utilização das ferramentas do mundo digital para produção de cultura, informação e educação.
Neste contexto, mais uma conquista foi alcançada pela trupe. Acabam de receber a notícia de que, com nota máxima, a confirmação de mais um projeto federal.
PROJETO CINE MAIS CULTURA será realizado em São João da Barra pelo grupo em parceria com a centenária Banda União dos Operários.
O “Cine Clube do Nós” visa a preservação da cultura e a divulgação da sétima arte como forma de entretenimento objetivando difundir conhecimento acerca de filmes, abrindo os horizontes da produção cinematográfica local, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da cidadania, preservação ambiental e dos valores culturais entre todas as idades e todo tipo de classe social, com ênfase na juventude sanjoanense, visando tira-los da ociosidade e dar procedimento ao trabalho que o grupo “Nós na Rua” e a Banda União dos Operários vem realizando no município.

Além desde novo projeto que segue para o município, encontra-se em etapa final de documentação e regularização do Ponto de Cultura, outra conquista alcançada e sob responsabilidade do colaborador Antônio Carlos.
Nossa meta será despertar ainda mais, a comunidade para a importância do audiovisual, incentivando a qualificação de indivíduos e a possibilidade da abertura de um mercado de geração de renda.
Permanecer incentivando projetos e realizações de eventos (palestras, cursos, workshops etc) para interessados, demonstrando a importância deste recurso de ensino, pesquisa e diversão.
Buscar e incentivar inscrições em editais de fomento à cultura das grandes corporações e das esferas de governo, com o fito de captar recursos e ampliar os trabalhos e possibilidades, bem como qualificar pessoas envolvidas na equipe, possibilitando ainda sua ampliação.
Realização de Festivais de Cinema temáticos que possam articular com outras entidades a soma de interesses comuns.
Nosso objetivo maior, nos sete anos de existência, é de desenvolver a arte através de manifestações de cunho artístico-cultural. Nossas ações modificam, transformam, incentivam, divulgam, resgatam, comunicam e fazem comunicar tecendo teias com as outras artes e manifestações culturais num mundo em que a comunicação é a ENTRADA, PRATO PRINCIPAL e SOBREMESA da sociedade.

OUTRAS INFORMAÇÕES:
(22) 9904 – 7189 –
Silvano Motta – Diretor de Eventos
Silvano Motta(22)9904-7189



Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve na noite desta quinta-feira (19) decisão do ministro Marcelo Ribeiro que negou pedido de liminar (ação cautelar) feito pela ex-prefeita de Campos dos Goytacazes (RJ), Rosinha Garotinho, e seu vice, Francisco Arthur de Oliveira, para suspender a cassação de seus mandatos e continuar nos cargos. A liminar foi negada pelo ministro no dia 1º de julho deste ano.

O ministro Marcelo Ribeiro analisou um a um os pontos apresentados pela defesa no recurso proposto contra sua decisão e rebateu todos. A prefeita e o vice pediam a concessão de liminar para suspender a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) que determinou a inelegibilidade de ambos por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. Pretendiam continuar nos cargos até que o TSE julgue o mérito da decisão do TRE do Rio.

Nesta noite, o ministro Marcelo Ribeiro reafirmou que, pela decisão do TRE do Rio de Janeiro, e em uma análise preliminar do caso, Rosinha e seu vice “foram efetivamente beneficiados” pelo abuso do poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. O TRE do Rio de Janeiro considerou que a prefeita foi beneficiada por um grupo de comunicação da região composto de uma rádio e um jornal.

Na decisão que negou a liminar, o ministro observa que reformar a decisão do TRE local demandaria o reexame de fatos e provas, “o que não se admite em sede de recurso especial”. Além do voto do próprio ministro Marcelo Ribeiro no sentido de negar o recurso (um agravo regimental) apresentado pela defesa de Rosinha e seu vice, também se posicionaram dessa forma os ministros Ricardo Lewandowski, Arnaldo Versiani, Cármen Lúcia Antunes Rocha, Aldir Passarinho Junior e Hamilton Carvalhido.

O ministro Marco Aurélio não participou do julgamento. “Neste juízo preliminar, o relator demonstrou bem que não se faz presente o requisito da fumaça do bom direito”, afirmou o ministro Arnaldo Versiani ao se referir a uma das condições necessárias para a concessão de liminar. “Ficou devidamente demonstrado pelo relator a correção da decisão por ele proferida”, concordou a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha.

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná