fulinaíma

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Covardia: de quem? Quem será o bem, quem será o mal?











a planície lamacenta: - fotos: artur gomes











Ato de Covardia: de quem?
Por Eduardo Peixoto*


Não se escuta outra expressão do marido da prefeita de Campos, tentando se defender, que não seja: Isso é covardia!

Mas, segundo a Wikipédia, covardia “É o oposto de bravura e de coragem. É atacar sabendo que o adversário não poderá defender-se”. E então, cabe ou não cabe defesa? De que o ex-governador tem tanto medo? Casal, definitivamente, isso não é covardia.

Covardia é terceirizar a merenda escolar, a limpeza e até mesmo a segurança das unidades de ensino. Covardia é honerar os cofres públicos com todas essas terceirizações que transferem responsabilidades, beneficiam apadrinhamentos e soterram a proposta pedagógica das escolas.

Covardia é não permitir que a comunidade escolar eleja democraticamente a direção das escolas. Distribuir as escolas como feudos a seus senhores para que presenteiem os seus fiéis cabos eleitorais com um DAS... isso sim é covardia.

Covardia é deixar de oferecer condições mínimas de acesso à saúde pública e de qualidade. É deixar o pobre esperando meses, anos, na fila do hospital público por uma cirurgia de emergência... isso se ele aguentar esperar.

Covardia é tornar o DAS e a terceirização únicos atrativos laborativos de uma cidade que recebe uma fortuna de royalties. Os royalties entram em Campos e os desempregados saem para Macaé e regiões vizinhas em busca de emprego. Covardia é não ser transparente.

Covardia é fazer populismo com a miséria alheia. É dar o peixe (mísero e insuficiente) em vez de dar condições de pesca a quem necessita. Isso é formar cidadãos viciados e dependentes e não lhes dar acesso a nenhum tipo de recuperação. Não oferecer formação e emprego é covardia.

Covardia é realizar licitações nada transparentes beneficiando, em regime de revezamento, seus investidores de campanha.

E só mais uma curiosidade: em se falando em fanatismo pseudo-religioso – quem será Davi e quem será Golias? Quem será o bem e quem será o mal?

*Eduardo Peixoto é presidente do PT -Campos

Artigo publicado na edição de domingo na Folha da Manhã
fonte: http://dignidadecampos.blogspot.com/

Para o TRE eles são iguais. E nós o que vamos fazer?

A decisão do TRE de cassar o mandato da prefeita Rosinha Garotinho e condenar à inelegibilidade por três anos seus três antecessores, pode ser entendida, à primeira vista, como um indício de que chegou ao fim o tempo de bandalheira e impunidade que vem caracterizando a política local nas últimas eleições, mas não passa de um novo capítulo desta novela de insensatez protagonizada por atores canastrões que não dão a menor importância se a platéia vai aplaudir ou vaiar no final, desde que a bilheteria esteja garantida.

A novidade são atores estreantes nesta opereta de terceira: suas excelências da Corte Eleitoral com seu julgamento estéril e indícios de pressões extraprocessuais. Nenhuma das punições tem efeito imediato e para todas cabem recursos infindos (tanto no próprio Tribunal quanto no Superior) e sabe-se Deus quando haverá decisão definitiva. Minha intuição diz que deve ser longe, quase nunca. E nunca, porque vão permanecer na cena política local e estadual os mesmos ingredientes da amarga receita: desprezo pelo bom senso, pelo respeito às leis, manipulação da justiça e um desapego à verdade capaz de corar frade de pedra. Todos mentem. Juram confiar em Deus, na Justiça e no julgamento popular, como se fossem as pessoas mais bem intencionadas e puras do Planeta.

O maior mérito do TRE foi oficializar, ao condenar por abusos diversos, Garotinho, Rosinha, Arnaldo Vianna e Alexandre Mocaiber, o que todos nós sabíamos: eles são frutos de uma mesma e danosa árvore.

O que pratica-se aqui é a política do altíssimo risco. Desconhecem limites legais ou éticos, tanto nas campanhas eleitorais quanto no exercício do poder. Quando são candidatos não pensam duas vezes antes de enxovalhar adversários com denúncias das mais contundentes, mesmo sem provas ou apenas indícios. Usam os meios de comunicação aliados, alugados ou próprios, como se não existisse legislação específica que garantisse a todos acesso igualitário. Quando eleitos, misturam o público com o privado numa única conta. Os jornais e rádios amigos são os que recebem a maior fatia das verbas publicitárias, e as empreiteiras que financiaram ou financiarão as campanhas são as favoritas nas licitações de obras e contratações de prestadoras de serviço. Portanto, quando sofrem um revés como este último, contabilizam como parte do risco do negócio e seguem em frente.

Desta vez não se pode negar que houve a participação significativa de outro ator importante (e não tão diferente dos adversários): o governador Sérgio Cabral, o grande beneficiado pela decisão do TRE da última quinta-feira. Sim, o atual governador guarda muito mais semelhanças que diferenças com os seus ex-aliados daqui da Planície, e tirar o ex-governador Garotinho da campanha sucessória é o objetivo do atual governador. Mas o tiro pode sair pela culatra, porque isolado numa legendinha de aluguel com pouco mais de um minuto de propaganda eleitoral no rádio e TV, Garotinho concorria sem chances, como o aventureiro de sempre, e agora ganhou o cenário ideal para tirar do armário do camarim a fantasia favorita e desempenhar o papel , mais uma vez, da vítima perseguida. Do homem bom e justo que luta contra o mal, do pequeno David e o gigante Golias e blá, blá, blá...

É preciso admitir um fato: Garotinho é mesmo um dos políticos mais perseguidos da história da República brasileira, como repetem ad nauseam, ele e seus ventríloquos. Mas é também incontestável que tem assento cativo e destacado na galeria dos maiores perseguidores. Quem já ouviu seus programas de rádio sabe do que estou falando. Garotinho é daqueles políticos que conhece tão bem os próprios vícios que é inacreditavelmente convincente ao impingir os mesmos aos seus desafetos de ocasião. É capaz de bater a sua carteira e sair gritando: “pega ladrão! pela ladrão!”

Mas o êxito político de Garotinho, Cabral e dessa gente toda, é fruto do analfabetismo político de que nos falava Bertolt Brecht. Não haverá massa crítica suficiente para varrer esse tipo de gente para o lugar onde merece estar sem o exercício livre e robusto da cidadania. Em pleno século 21 ainda há quem confunda favor com direito. O eleitorado que mantém esse tipo de político no poder é mesmo que trocava voto por dentadura e hoje ou troca-o por dinheiro vivo, cheque-cidadão, bolsa-família ou qualquer outra “vantagem” que seria um direito de fato e não uma barganha que afronta aos mais elementares preceitos éticos.

Sair desse círculo vicioso não é fácil. Demanda tempo, disposição para o diálogo com os diferentes, tolerância e contenção de vaidades. E não é de hoje que sabemos que só há dois caminhos a tomar: romper o imobilismo, como propõe o blogueiro Douglas da Mata (aqui) ou continuar lamentando , lamentando, lamentando...

fonte: Ricardo André Vasconcellos



Na verdade, pouco importa se os resultados das decisões do TRE ou TSE possam colocar um termo no mandato da prefeita eleita em 2008, assim como cassar um de nossos representantes no Congresso.A questão principal antecede. É entendermos como chegamos a esse ponto.Caso se confirmem, serão seis, eu disse 06 eleições em quatro(04)anos.

Que tipo de sociedade é essa que convive com tal ambiente caótico, sem que acorde para emergir da lama que a soterra? Ora, todos sabemos que somos vítimas e cúmplices desse processo, mas eu pergunto: Não haverá, nos moldes de alguns momentos mais importantes da História de outros lugares, uma vanguarda que nos guie para fora desse atoleiro? Não, não há, e a mesma História nos mostra que os movimentos de vanguarda tendem ao fracasso, e traem seus propósitos fundamentais.

A resposta é política, e está em nossas mãos, embora sempre pareça que ela escorra entre nossos dedos.

Mas preferimos jantar nossos próprios restos mortais, cercados pelos abutres de mídia, com a gargalhada das hienas do poder como música incidental. Um banquete de podridão antropofágica.

Não importa se a prefeita vai ou não ser mantida no cargo, como já disse.

Seu mandato acabou. Esse modelo acabou, e não há repaginação de marketing que dê jeito.

Não adianta cirurgia plástica para cessar a metástase do carcinoma.

Como está, a administração e suas "obras" parecem uma dona de casa atônita, que acende todas as luzes, liga o fogão sem que haja panelas para cozer algo, aumenta o som da TV e do CD player, liga a irrigação do jardim, enquanto faz obras em todos os cômodos, e tenta limpar a poeira com um pano seco, com o ferro elétrico ligado por três horas para passar uma camiseta, enquanto a lavadora de roupas é acionada para lavar um par de meias, e por fim, abre todas as torneiras.

É chegada a hora de romper todo nosso imobilismo, superar diferenças, e juntar em uma frente ampla gente do calibre de: Sérgio Diniz, Andral Tavares, Roberto Moraes, Luciano D'Ângelo, Odisséia Carvalho, Odete Rocha, Rogério Matoso, Antonio Carlos Rangel, Adão Faria, Adilson Sarmet, Hugo Diniz, Fabiano Rangel, Zé Maria Rangel, Gustavo Lopes, Gustavo Carvalho, Fábio Siqueira, Renato Barreto, Brand Arenari, Roberto Torres, George Gomes Coutinho, Fabrício Maciel, Garciete Santana, Erick Schunk, Marcos Pedlowisk, José Hamilton, Rossana Florêncio, Aurélio, Cléber Tinoco, Zé Luiz Vianna, Artur Gomes, Jane Nunes, Sérgio Cardoso Moreira, Rose David, Professora Luciana, Vitor Menezes, Gervásio Neto, Gustavo Rangel, Cláudio Kezen, Celso Vaz, Cláudio Andrade, Maxsuel Barros Monteiro, Herval Junior, Davi do MST, Aristides Soffiati, Gustavo Soffiati, Félix Manhães, Joca Muylaert, e tantos outros, muitos outros.

Aceitamos até aqueles que renunciem às práticas que contribuíram para nosso sofrimento. Que a Imperatrix faça o "gesto simbólico" e devolva os 1.8 milhão da "fantasia". Que outros vereadores, deputados estaduais decidam parar de tentar agradar deus e o diabo, e venham se juntar aos esforços dos homens e mulheres de boa vontade. Não há futuro para nós, se mantivermos as coisas como estão.

É hora de parar, refletir e agir.

É essa História que esses homens públicos querem legar aos seus descendentes e sua biografia?Esse é o momento de ruptura que exige medidas de exceção.

Livremo-nos de nossas diferenças e sigamos pelo que nos une.

Há tempos de cinismo, e há tempos para ingenuidade

Douglas Barreto da Mata
madan cabeça e pele – sobre poema de adélia prado e olga savary

Escrituras Editora
e
Casa das Rosas convidam para a

QUINTA POÉTICA

com as poetas convidadas
Eunice Arruda, Graça Fontelles, Helena Borges e Karin Massaro, com participação especial de Sandra Miyazawa e Tiganá.
Agradecimentos especiais ao poeta Celso de Alencar (curador) e Joyce Cavalccante, presidente da REBRA - Rede de Escritoras Brasileiras.

Quinta-feira, 27 de maio de 2010
a partir das 19h

Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos
Av. Paulista, 37 - São Paulo/SP
Próximo ao metrô Brigadeiro.
Convênio com o estacionamento Patropi - Alameda Santos, 74
Informações: (11) 5904-4499
Próxima QUINTA POÉTICA: 24 de junho de 2010, quinta-feira, às 19h, na CASA DAS ROSAS.
Saiba mais sobre o evento e os convidados:

Quinta poética
Mensalmente, a Casa das Rosas abre suas portas para a Quinta Poética, um grande encontro dos amantes da boa poesia, com a presença de poetas consagrados e novos talentos, que têm a oportunidade de apresentar seu trabalho. Intervenções artísticas das mais diferentes expressões, como dança, música, artes plásticas, cultura popular, envolvem a leitura dos poemas.
Grandes nomes da poesia, como Álvaro Alves de Faria, Beth Brait Alvim, Carlos Felipe Moisés, Celso de Alencar, Contador Borges, Eunice Arruda, Floriano Martins, Hamilton Faria, Helena Armond, José Geraldo Neres, Raimundo Gadelha, Raquel Naveira, Renata Pallottini, Renato Gonda, entre outros, já estiveram presentes nesses encontros, que são promovidos pela Escrituras Editora e a Casa das Rosas.

Os poetas:
Celso de Alencar (curador) é poeta e declamador paraense, radicado em São Paulo desde 1972. O poeta e crítico Cláudio Willer, afirma que se trata do mais enfático poeta contemporâneo. O compositor e poeta Jorge Mautner o considera um poeta da 4ª dimensão, escandalizador e libertador de almas. É reconhecido entre os grandes talentos da geração de 1970, se apresentou na Inglaterra, França e Portugal. Tem vários livros publicados, entre eles: Tentações (1979), Os Reis de Abaeté (1985), O Pastor (1994, infanto-juvenil), O Primeiro Inferno e Outros Poemas (1994 e 2001), A Outra Metade do Coração (CD- antologia poética) e Testamentos (2003). Participou de diversas antologias no Brasil e no exterior, além de publicações em revistas e periódicos. Palestrante e integrante de diversos júris de concursos de poesia. Ex-diretor da União Brasileira dos Escritores - UBE (gestão 1990/92 e 1992/94).

Eunice Arruda é poeta, com treze livros publicados, entre eles: É tempo de noite, Mudança de lua, Há estações. Presença constante em antologias no Brasil e no exterior. Paralelo à criação de poemas, coordena oficinas regulares de poesia. Fez parte da diretoria da União Brasileira de Escritores (UBE). Recebeu inúmeros prêmios, entre os quais: Pablo Neruda (Argentina), Mérito Cultural (Rio de Janeiro) e Mulheres do Mercado (São Paulo).

Graça Fontelles é natural de Fortaleza-Ceará. Casada, mãe três filhos: Cristiane (Odontóloga), Manassés (Humanista) e Daniel (Psicólogo). Avó de Tamara Hadassah, Gabriel, Benjamin, Ana Liz e Pedro Arthur. Poetisa, odontóloga, formada pela Universidade Federal do Ceará (1977), Mestre em Farmacologia pela mesma Universidade (2003). Especialista em Clínica Odontológica pela Eastman Dental Center, University of Rochester, NY. Especialista em Periodontia pelo CRO desde 1987. Pesquisadora da Universidade de Charlottesville (1991-1992). Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2006), e Doutora em Letras pela mesma Universidade (2009). Membro da União Brasileira de Escritores (UBE).

Helena Borges nasceu em São Paulo. Foi acadêmica de Letras e trabalha com turismo desde 1995. Começou a escrever aos 15 anos, já publicando de forma independente em 1988. Retornou à escrita na Bienal de São Paulo, em 2008, com a antologia ‘Delicatta III’ (Ed. Scortecci). Participou da XVIII Antologia Del Secchi e da coletânea ‘Reflexões para bem viver’ e da Antologia ‘Universo Paulistano’ (Andross Editora), livro em homenagem aos 455 anos de São Paulo. Também participou das coletâneas ‘As cartas que nunca mandei’ e ‘Latinidade poética’, projeto 48 horas do escritor Marcelo Puglia. Ainda nesse semestre, lançará seu livro ‘Um passo a mais’, reflexões em poemas e já está escrevendo o livro ‘Amor não correspondido’.

Karin Massaro nasceu em São Paulo. Escreve poesias desde os 7 anos e aos 16 anos já publicava seu primeiro livro, ‘Plano e convexo’ (Editora ECE). A obra, prefaciada por Paulo Zingg, presidente da Associação Paulista de Imprensa, recebeu elogios do Ministro da Justiça, Dr. Euclides Pereira de Mendonça, da Ministra da Educação Dra. Esther de Figueiredo Ferraz, da Câmara Municipal de São Paulo e do Secretário de Agricultura do Rio Grande do Sul Dr. João Salvador de Souza Jardim. Publico também ‘Amor e hepatite viral’ (Editora Legnar, 2001), com poesias premiadas e publicadas no Vol. IV de antologia Painel Brasileiro de Novos Talentos, da Câmara Brasileira de Jovens Talentos do RJ, em 2000. Em 2007, publica seu 3º livro, ‘Sangue quente’, cujo prefácio está sob a chancela do diretor, escritor e ator Paulo Betti.Tem participações em diversas antologias, inclusive nas publicadas pela SOBRAMES - SP (Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-SP). É membro da REBRA e do Movimento Poético Nacional. Médica responsável pela Hematologia do Hospital Santa Catarina , membro da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, membro da American Association of Blood Banks, membro e ex-presidente da SOBRAMES - SP (Sociedade Brasileira dos Médicos Escritores), da qual foi a primeira mulher a assumir o cargo.

Sandra Miyazawa - artista circense e performer, apresenta número aéreo em lira, mesclando poesia e dança, trazendo leveza e plasticidade à cena. Especialista em aparelhos aéreos, foi premiada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo [ProAC] pela criação de número solo de lira, inspirado nos poemas de Hilda Hilst. A artista vem intensificando sua pesquisa e atuação solo, e participação em espetáculos musicais, buscando sempre integrar dança, poesia e música às artes circenses. Dos diversos espetáculos que participou, destacam-se ‘Une-Dune P, de Poesia’, dirigido por Tim Rescala, Universo Umbigo, com direção de André Abujamra (Karnak) e Marcelo Castro (Circo Fractais) e Urbes, de Hugo Possolo, além de shows musicais de Kléber Albuquerque, Quarteto Pererê e Fred Martins.
http://www.myspace.com/sandramiyazawa
http://www.youtube.com/watch?gl=US&v=wmAPHBMYO0g

Tiganá é um dos raros brasileiros a compor em línguas africanas. Traz sonoridade inspirada na polifonia e com fonte na anterioridade. Cantor e jovem poeta, gravou recentemente o CD autoral Maçalê, com direção musical de Luiz Brasil e participações de renomados artistas da MPB. Pesquisador incansável das suas raízes afro-brasileiras – e um dos compositores favoritos da cantora Virgínia Rodrigues, Tiganá revela, através da criação e do seu cantar tão específico, um olhar moderno e ancestral sobre o mundo.
http://www.myspace.com/avozdetigana
http://tigana.com.br/
Escrituras Editora
Rua Maestro Callia, 123 - Vila Mariana
04012-100 - São Paulo - SP - Brasil

O SESC Rio seleciona para a Unidade Quitandinha (Petrópolis):



CONTRARREGRA
Indicação sumária das principais atividades

Participar da construção montagem e desmontagem dos cenários
Orientar e/ou executar a movimentação de cortinas de cena, varas, objetos cênicos, etc.
Auxiliar na inspeção, arrumação e manutenção do urdimento do teatro
Zelar pelo bom estado dos equipamentos e cenários garantindo a integridade do patrimônio do teatro

Requisitos:

Ensino Fundamental Completo
Experiência profissional na função

Noções básicas sobre equipamentos técnicos e operacionais de teatro
Imprescindível residir em Petrópolis ou região
Contratação em regime de CLT.
Os interessados deverão entregar o currículo até o dia 06/06/2010 no SESC Quitandinha, localizado na Rua Joaquim Rolla, 2, Quitandinha - Petrópolis ou através do e-mail: trabalheconosco@sescrio.org.br

O SESC Rio seleciona para a Unidade Teresópolis

EDUCADOR SOCIAL

Indicação sumária das principais atividades

Planejar, elaborar e executar projetos ligados aos conteúdos/temas trabalhados pela área socioeducativa (meio ambiente, voluntariado, intergeracionalidade, juventude, empresas, leitura e literatura) visando ampliar os espaços de vivência da cidadania;
Articular propostas com temas contemporâneos, trabalhando valores como a ética, a solidariedade, a estética, a cultura.
Identificar temáticas e propor atividades que renovem e atualizem os projetos dos Programas Socioeducativos;

Requisitos

Nível Superior Completo
Informática (Windows, Word, Internet)
Experiência profissional em elaboração e condução de projetos sociais tais como: meio ambiente, voluntariado, intergeracionalidade, juventude, empresas, leitura e literatura.

Imprescindível residir em Teresópolis ou região

Os interessados deverão se cadastrar no site http://www.sescrio.org.br/, link Trabalhe Conosco.
Período de Inscrição: 28/05/2010 a 06/06/2010

O SESC Rio seleciona para a Unidade Nova Friburgo

PRODUTOR CULTURAL

Indicação sumária das principais atividades

Planejar, desenvolver e coordenar a programação cultural nas áreas de música e artes cênicas;
Elaborar e acompanhar projetos estratégicos da área da cultura e projetos integrados com outros setores;
Dar suporte e acompanhar os eventos culturais (shows, espetáculos de teatro e dança, oficinas, entre outros).
Buscar parcerias para a realização de eventos afins;

Requisitos:

Ensino superior completo
Desejável formação em produção cultural
Experiência profissional em trabalhos na área artístico-cultural
Noções básicas sobre equipamentos técnicos e operacionais relacionados às atividades de cultura (artes cênicas e música).
Domínio de Informática (pacote Office)

Imprescindível residir em Nova Friburgo ou região

Os interessados deverão se cadastrar no site http://www.sescrio.org.br/, link Trabalhe Conosco.
Período de Inscrição: 28/05 a 06/06/2010.

Festival Niteroiense de Esquetes 2010
Conforme prometido os prêmios do Festival Niterói de Esquetes 2010 foram aumentados
1º Lugar R$ 2.000,00
2º Lugar R$ 1.000,00
3º Lugar R$ 500,00
Troféus para as seguintes categorias: ator, atriz, diretor, texto original, caracterização, júri popular e especial do júri.
Inscrições até 28 de junho. Não deixe de se inscrever e concorrer aos prêmios, participar dos debates sobre as cenas apresentadas, além de receber uma análise minuciosa sobre seu trabalho no Festival Niterói de Esquetes 2010.
inscrições em: http://festivalniteroideesquetes.blogspot.com/
Aguardem novidades
Dúvidas
festivalniteroideesquetes@gmail.com

trabalhos do corpo

este corpo se conquista com a arte e o engenho dos bárbaros
seu movimento risca o espaço
preenchendo-o com delicadas linhas de força
dilata o olhar na jornada incerta
este corpo dança
destrói leis da física
perfura o ar-livre
às vezes carne desgovernada
às vezes traço matemático
este corpo não mais se sente
fratura-se, rompe-se, perde-se
é deixado para trás
terra-de-ninguém
caído no rastro de outro corpo
palco incompartilhável
este corpo sua
multiplica-se atroz
depois de desposar, desafiar, seduzir
renasce – múltiplo & contraditório –
supernovo explodindo em luzes
sempre longe do universo
ao rés-do-chão
bem mais próximo
mais tóxico
agora não há mais espaço
nem ar-livre
nem dança
só corpo
e tudo nele navega – elétrico
tudo nele anela – novelo
espelho de fora
diferente de si e diferente
múltiplo & contraditório
fora de tudo
como um breve sonho da matéria
involuntariamente móvel
posto pertencer sempre ao azul-metálico
& atravessar desertos a seco

sandro ornellas
in Trabalhos do Corpo & Outros Poemas Físicos
Letra Capital – 2007
contato: ssornellas@gmail.com
http://simuladordevoo.blogspot.com/

trilhos urbanos

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Gibson elege os 50 melhores







guitarristas de todos os tempos; veja a lista!

Jimi Hendrix, eleito o melhor guitarrista do mundo segundo o site da A fabricante de guitarras Gibson elegeu através de seu site os 50 melhores guitarristas de todos os tempos. A votação ocorreu entre especialistas, jornalistas, músicos e internautas do site.

Na primeira posição (como sempre) ficou Jimi Hendrix. Morto em 1970, Hendrix ficou no topo devido ao seu modo revolucionário de tocar guitarra. Jimmy Page e Keith Richards, ambos em segundo e terceiro lugar, entraram na lista por causa de seu modo único e influente de tocar.
Músicos como Eric Clapton, Chuck Berry, Eddie Van Halen e Pete Townsend também entram na lista dos melhores da Gibson. Veja a lista completa logo abaixo:
1. Jimi Hendrix
2. Jimmy Page (Led Zeppelin) (foto acima)
3. Keith Richards (The Rolling Stones)
4. Eric Clapton (Cream, Derek and the Dominos)
5. Chuck Berry
6. Jeff Beck (The Yardbirds, The Jeff Beck Group)
7. Eddie Van Halen (Van Halen)
8. Chet Atkins
9. Robert Johnson
10. Pete Townshend (The Who)
11. George Harrison (The Beatles) primeira foto acima
12. Stevie Ray Vaughan
13. Jack White (The White Stripes, The Raconteurs)
14. Prince
15. Steve Cropper (Booker T. & The MGs)
16. Mike Bloomfield (Paul Butterfield Blues Band, Bob Dylan)
17. B.B. King18. Wes Montgomery
19. Mick Ronson (David Bowie, Ian Hunter)
20. Django Reinhardt
21. Johnny Marr (The Smiths)
22. Les Paul
23. The Edge (U2)
24. Ron Asheton (The Stooges)
25. Angus Young (AC/DC)
26. Neil Young
27. Danny Gatton
28. Ed O'Brien/Jonny Greenwood (Radiohead)
29. Duane Allman (The Allman Brothers, Derek and the Dominos)
30. Roy Buchanan
31. Bo Diddley
32. Ry Cooder
33. Scotty Moore (Elvis Presley)
34. Slash (Guns N’ Roses, Velvet Revolver)
35. Buddy Guy
36. Charlie Christian
37. Mike Campbell (Tom Petty and the Heartbreakers)
38. Lou Reed (Velvet Underground)
39. Frank Zappa
40. Steve Jones (Sex Pistols)
41. David Gilmour (Pink Floyd)
42. Richard Thompson
43. John Frusciante (Red Hot Chili Peppers)
44. Rory Gallagher (Taste)
45. Clarence White (The Kentucky Colonels, The Byrds)
46. Hubert Sumlin (Howlin’ Wolf, Muddy Waters)
47. Andrés Segovia
48. Robert Fripp (King Crimson)
49. Kurt Cobain (Nirvana)
50. Ritchie Blackmore (Deep Purple, Rainbow)


Brasil vai sofrer impactos da crise europeia, diz BNDES

O Brasil não passará ileso à crise europeia --que vai durar, pelo menos, dois anos-- e sentirá o impacto especialmente nas exportações para o velho continente, responsável por quase um terço do comércio exterior do país, afirmou nesta sexta-feira o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.
Para ele, a "crise na Europa é preocupante" e "já tem um efeito global". Na economia brasileira, avalia, o impacto será reduzido, já que o país convive atualmente com outro problema: o crescimento excessivo e o risco consequente de disparada da inflação.
"O problema da economia brasileira não é o de crescer. É o de crescer demais", disse Coutinho, que participou hoje do Terceiro Fórum Brasil-União Europeia, no Rio.
O presidente do BNDES disse que a preocupação atual do governo é a de "moderar o crescimento" --por meio da alta de juros já em curso.
Sob esse prisma, diz, a crise europeia servirá para conter o crescimento da economia brasileira. E talvez possa impedir um aperto maior da política monetária.
Isso porque, prevê, a exportações brasileiras para a Europa tendem a refluir. Tal cenário, porém, não é grave, já que a Ásia (especialmente da China) pode absorver o excedente de produtos destinados antes ao continente europeu, segundo o presidente do banco estatal.
Para Coutinho, a crise será longa e durará, pelo menos, mais dois anos. Somente após esse período, diz, a Europa começará a reagir. "A Europa vai passar um período muito dificíl."
Europa
A União Europeia, com apoio dos ministros de Finanças do grupo, pediu por novas e mais rígidas sanções contra países que quebram as regras orçamentárias, em uma tentativa de dar fôlego ao euro e aumentar a segurança contra uma crise de dívida.
Vários países anunciaram medidas de austeridade fiscal para conter a crise e reduzir os deficits.Nesta sexta-feira, o governo espanhol revisou para baixo suas previsões de crescimento ao calcular um avanço da atividade de 2,5% em 2012, contra 2,9% da estimativa anterior, e um aumento de PIB de 2,7% em 2013, quatro décimos a menos que a última previsão.
Mais cedo, o mesmo país europeu aprovou um limite de despesas para o próximo ano de 122,256 bilhões de euros (cerca de US$ 151 bilhões), o que representa um corte de 7,7% no orçamento inicial de 2010, como parte das medidas adotadas contra a crise econômica que afeta o país.
Na Grécia, um dos países mais afetados pela crise, o governo negou que pretenda faltar com o pagamento das dívidas e disse que pretende restabelecer a confiança do mercado, contando com o investimento estrangeiro.
Na Alemanha, o governo cogita aumentar certos impostos em busca de consolidação fiscal, disse um jornal alemão. O deficit da Alemanha, maior economia da Europa, deve crescer para mais de 5% do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano, em parte devido à reduções de impostos que o governo Merkel introduziu no início de 2010.

Ministério Público Eleitoral entra no TSE contra Lula, Dilma e PT

O MPE (Ministério Público Eleitoral) ajuizou representação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o diretório nacional do PT e a pré-candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, sob a alegação de “explícita exaltação do nome da pré-candidata e propaganda negativa do candidato adversário” no programa partidário veiculada no último dia 13. O corregedor-geral eleitoral, ministro Aldir Passarinho Junior, analisa o caso.

Segundo a representação, assinada pelo procurador-geral eleitoral Roberto Gurgel, Lula ocupou metade do espaço do programa para mostrar a trajetória de Dilma, sua capacidade, ideias e opiniões. “No esforço para exaltar seu nome, valeu até a comparação com o líder sul-africano Nelson Mandela”, afirma Gurgel.



O MPE diz que, ao comparar os períodos “Lula/Dilma” e “FHC/Serra” nas áreas de emprego, ascensão social e energia elétrica, o programa sugere que a petista é a melhor opção para a Presidência.



Na representação, o procurador transcreve trechos do programa. “Todo o propósito do órgão nacional da agremiação, no momento da transmissão, foi levar o eleitor a certamente votar na candidata, e não em seu opositor José Serra”, diz o procurador.

Gurgel pede a aplicação da multa máxima de R$ 25 mil prevista no artigo 36, parágrafo 3º, da Lei 9.504/97, e a cassação da transmissão da propaganda partidária do PT no segundo semestre de 2011. O programa do primeiro semestre já foi cassado pelo TSE. Lula, Dilma e o PT já foram condenados por propaganda eleitoral antecipada em três representações julgadas recentemente pelo tribunal.






lavra/poema



todos os poetas
já cantaram suas musas:

mayara bethânia clarice
alice bárbara isadora

qual o nome
que ainda
não disse
na lavra
do poema
agora

artur gomes
http://artur-gomes.blogspot.com/

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Do site do TRE-RJ: Garotinho inelegível e Rosinha cassada


TRE-RJ torna casal Garotinho inelegível e cassa mandato de Rosinha

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro cassou o mandato da prefeita de Campos dos Goytacazes, Rosângela Rosinha Garotinho por abuso do poder econômico. Ela foi beneficiada pelas práticas panfletárias da rádio e do jornal O Diário, durante a campanha nas eleições 2008.

Como Rosinha Garotinho obteve mais de 50% dos votos, o Tribunal convocou novas eleições para o município. O uso indevido dos meios de comunicação social também levou a Corte a tornar inelegíveis por três anos a prefeita cassada e o pré-candidato ao governo do Rio, Anthony Garotinho, além de três comunicadores da rádio O Diário.

Os políticos ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral, com efeito suspensivo. O julgamento chegou a ficar empatado em três votos a três. Coube ao presidente do TRE-RJ, desembargador Nametala Jorge, o voto de desempate. “Os fatos foram inadmissíveis. O pleito eleitoral tem que ter uma lisura absoluta, trata-se de um direito da sociedade”, justificou o desembargador. Os votos vencidos foram do relator do processo, juiz Célio Salim e dos juízes Leonardo Antonelli e Luiz de Mello Serra. Os desembargadores Sérgio Lúcio de Oliveira e Cruz e Raldênio Bonifácio acompanharam o voto divergente do revisor, juiz Luiz Márcio Pereira.

Houve ainda um impasse quanto ao início da contagem do prazo de inelegibilidade. O juiz Luiz Márcio Pereira defendeu a tese de que o prazo deveria contar a partir da decisão, no que foi acompanhado pelo desembargador Nametala Jorge. Mas os desembargadores Sérgio Lúcio de Oliveira e Cruz e Raldênio Bonifácio entenderam que deve prevalecer a Súmula 19 do TSE, com a contagem a partir das eleições em que os fatos ocorreram, ou seja, em 2008, o que. Para resolver o impasse, o juiz Luiz Márcio Pereira adotou o prazo da Súmula.

Site do TRE-RJ

filosofia de futebol avyadores do brazyl






Filmado no Espaço da Bola, no último sábado já está rolando no youtube esse vídeo da banda Avyadores do Brazyl. Luizz Ribeiro, Sérgio Máximo, Sérvulo Soto e Júnior, numa tremenda porrada sonora.

O DOMADOR DE SONHOS


A revista O DOMADOR DE SONHOS, de Manuel Almeida e Sousa e de Bruno Vilão, volta a atacar. Desta vez com um pequeno mas aguerrido exército constituído por António Gómez, Gonçalo Mattos, José Bívar, Fernando Aguiar, Luísa Coder & Jojé Russell, Manuel Almeida e Sousa, Victor Cardeira, Manuel d’Luísa, Jorge Vicente e Nicolau Saião.


São 55 páginas em pdf com poemas, textos, fotografias, desenhos, teatro, poemas visuais e uma reportagem sobre a participação do grupo Mandrágora em EDITA 2010 – XVII Encuentro Internacional de Editores Independientes.


O conteúdo desta publicação, sempre com um design cuidado e muito agradável à vista, pode ser lido na íntegra (e à borla) em: http://domadordesonhos.wordpress.com/


Flor do Horto

hoje a partir das 22:00h. tem Clara Brito, mais uma vez no Bar Flor do Horto, que fica ali na Av Alberto Lamego, bem próximo ao Horto Municipal. Uma bela opção pra quem já está saturado de funk e pagode pelas noites desta canibália city. Nesta última terça com a presença de uma grande galera formada por alunos da UENFE, Clara Brito, desfiou seu personalíssimo repertório, desfolhando pétalas do RAPPA, Renato Russo, Janis Joplin e Capital Inicial. Contou ainda com a canja poderosa do Luizz Ribeiro, fazendo um dueto de voz e violão com a antológica Mercedes Benz, de Janis Joplin, e nossa Ind/Gesta, poema nosso musicado por Luizz Ribeiro.


XXII Fecam

nesta sexta e sábado acontece ali navizinha Cardoso Moreira mais uma edição do seu Festival da Canção, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura. O Fecam chega a sua XXII Edição, tendo começado a ser realizado quando Cardoso Moreira era ainda Distrito de Campos. Um grande abraço ao Secretário Municipal de Cultura, Ailton Guimaraes e a toda sua equipe.


Amy Winehouse deve lançar novo álbum em dezembro, diz pai da cantora

MÚSICAS, VÍDEOS, FOTOS E MAIS SOBRE AMY WINEHOUSE
LETRAS DA CANTORA

O novo álbum de Amy Winehouse está agendando para sair em dezembro. Mitch Winehouse, pai da problemática cantora, diz que o novo disco o sucessor do bem sucedido "Back To Black, de 2006 é um "trabalho em progresso" e que "provavelmente" deve sair antes do Natal.

Ele disse: "ouvi algumas músicas. Ela demora um bom tempo para concretizar um disco. Ela escreve sobre suas próprias experiências e, na maioria das vezes, são experiências amargas e este é o problema".

Apesar do icônico "Back To Black" ter feito sua filha uma estrela internacional, Mitch não consegue ouvir o disco por lembrá-lo da dor na qual sua filha passou quando o gravou.

O motorista de táxi, que lançará o álbum "Rush of Love" no próximo mês, disse: "cada álbum é como cortar fora uma perna ou um braço dela, são infestados de ansiedade. Não gostaria que ela produzisse um disco por ano por causa da dor. Não consigo ouvir 'Back to Black'. Não o faço há anos. Ela compõe sobre coisas que a estão afetando e algumas são bem obscuras. Quem quer uma filha assim?"

Desde o lançamento de "Back to Black", Amy vivenciou numerosos problemas pessoais, incluindo a luta contra o abuso de drogas e álcool, problemas de saúde e um relacionamento turbulento com seu ex-marido Black Fielder-Civil".

Educativa fm e Uni-TV distantes da rede.

Hoje em dia as mais singelas emissoras de rádio e televisão podem ser seguidas pela internet. Impressionante como a Educativa (e a Uni-TV) ainda se colocam distantes. O mais intrigante é que ambos são laboratórios do curso de Comunicação Social, o que deveria ser elemento facilitador para a tarefa de disponibilizá-las na rede. Sem falar que agrega valor que incide na tabela comercial. Quero deixar registrado que o dial dos meus receptores são sempre fixos no 107,5

joca muylaert http://carraspanacampista.blogspot.com/

Vice-presidente da Câmara pode assumir a prefeitura

Segundo a decisão do TRE deverão ser convocadas novas eleições para a Prefeitura de Campos.
A dúvida é se Rosinha terá que sair do cargo imediatamente ou não.

Se Rosinha não puder ficar no cargo enquanto aguarda o julgamento do recurso ao TSE, quem deve assumir a cadeira é o vice-presidente da Câmara, Rogério Matoso. Isso porque Nelson Nahim, presidente do Legislativo, que é pré-candidato a deputado estadual pelo PR, ficaria inelegível se assumir o cargo de prefeito por um dia que seja.

O argumento é que a decisão será revertida no TSE e Nahim não se arriscaria a ficar inelegível por apenas alguns dias.

fonte: Ricardo André Vasconcelos
http://ricandrevasconcelos.blogspot.com/

Flip planeja "homenagem consistente" a Gilberto Freyre;

veja programação das mesas de debate

Com 35 convidados, 16 nacionais e 19 estrangeiros, e homenagem ao sociólogo Gilberto Freyre (1900 - 1987), a 8ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, ocorre de 4 a 8 de agosto na cidade fluminense.

Para celebrar a obra de Freyre, uma conferência e três mesas debaterão o trabalho do sociólogo. A conferência será na abertura do evento, com participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com Flávio Moura, diretor de programação da Flip, Freyre é autor que merece uma homenagem "consistente", por isso a ideia de celebrar alguém terá mais espaço nesta edição -- em 2009, o poeta Manuel Bandeira (1886-1968) foi tema de uma conferência e duas mesas de debate.

Entre os demais destaques da programação, a escritora chilena Isabel Allende conversa com o jornalista Humberto Werneck sobre sua trajetória literária, enquanto o britânico nascido em Gana William Boyd se junta à escritora Pauline Melville, nascida na Guiana, para falar sobre a literatura que se convencionou chamar de "pós-colonial".

Moacyr Scliar media mesa com o israelense Abraham B. Yehoshua e a iraniana Azar Nafisi. Já o anglo-indiano Salman Rushdie volta ao evento -- ele esteve na Flip em 2005 -- para falar sobre seu novo livro, "Luka e o Fogo da Vida, que terá lançamento mundial durante a festa.

O irlandês Colum McCann, vencedor de um National Book Award, conversa com o norte-americano William Kennedy sobre a cidade como personagem central de uma obra literária.
Entre os nomes mais populares do evento, o quadrinista norte-americano Robert Crumb divide mesa, mediada pelo brasileiro Angeli, com o criador da HQ "Freak Brothers", Gilbert Shelton. Já Lou Reed fala sozinho sobre os limites entre arte e contestação, letra e poesia, 'alta cultura' e rock´n´roll.

Robert Crumb está em mesa com Gilbert Shelton mediada pelo cartunista brasileiro Angeli
Show de aberturaA atração musical que abre a festa, na noite de quarta-feira, 4 de agosto, será formada por Edu Lobo, Renata Rosa, Marcelo Jeneci e o Quarteto de Cordas da Academia da Osesp, com direção artística de Arthur Nestrovski. Segundo Moura, diretor de programação do evento, é a primeira vez que um show é "especial" para a festa, formatado de acordo com a proposta da Flip e o homenageado da edição.

Flipinha e FlipzonaA programação da Flip voltada ao público infantil tem esse ano como destaque a presença do cartunista Ziraldo. Além dele, estará no evento a ilustradora ítalo-brasileira Eva Furnari, premiada com seis Jabuti.

Já a Flipzona, dedicada aos jovens e criada em 2009, terá debates sobre a combinação de literatura com música, cinema ou quadrinhos. A programação tem Pedro Luís, da banda Pedro Luís e a Parede, uma mesa que discutirá a obra "Alice no País das Maravilhas" e outra que contará com a participação das filhas adolescentes do navegador Amyr Klink, contando suas experiências de viagens.

Ingressos
Começa dia 5 de julho a venda de ingressos para a Flip, que será feita pelo telefone 4003-0848, pelo site http://www.ticketsforfun.com.br/ e nos pontos de venda da Tickets For Fun (endereços podem ser consultados no site da empresa). Os bilhetes custam R$ 10 e R$ 40 e, para cada mesa, há limite de dois ingressos por pessoa. A partir de 4 de agosto, os ingressos serão vendidos apenas na bilheteria da Flip em Paraty.

Veja abaixo a programação principal das mesas da Flip, sujeita a alterações até a data do evento.

PROGRAMAÇÃO PRINCIPAL DA FLIP 2010*:
Quarta 4/819h - abertura - Casa Grande e Senzala: Um Livro Perene
Fernando Henrique Cardoso (Brasil, 1931)
Luiz Felipe de Alencastro - debatedor (Brasil)

21h30 - show de abertura
Edu Lobo, Renata Rosa, com Marcelo Jeneci e Quarteto de Cordas da Academia da Osesp com dir. artística de Arthur Nestrovski.

Quinta 5/810h - mesa 1 - Ao Correr da Pena
Berthold Zilly (Alemanha, 1945)
Moacyr Scliar (Brasil, 1937)
Ricardo Benzaquen (Brasil, 1952)
Edson Nery da Fonseca (Brasil, 1921)

Mesa debate qualidade da escrita de Gilberto Freyre.
Mediação: Ángel Gurría-Quintana.

12h - mesa 2 - De Frente Pro Crime
Patrícia Melo (Brasil, 1962)
Lionel Shriver (Brasil, 1957)
Mesa debate o suspense psicológico em romances literários.

15h - mesa 3 - Fábulas Contemporâneas
Reinaldo Moraes (Brasil, 1950)
Ronaldo Correia de Brito (Brasil, 1950)
Beatriz Bracher (Brasil, 1961)

Mesa debate originalidade e densidade na literatura com escritores que criam em suas obras universos distintos. Mediação: Cristiane Costa.
17h15 - mesa 4 - Veias Abertas
Isabel Allende (Peru/Chile, 1942)

Mesa debate trajetória da escritora chilena. Mediação: Humberto Werneck.

19h30 - mesa 5 - O Livro: Capítulo 1
Peter Burke (Inglaterra, 1937)
Robert Darnton (Estados Unidos, 1939)
Mesa dedicada ao destino do livro impresso. Mediação: Lilia Schwarcz.

Sexta 6/810h - mesa 6 - O Livro: Capítulo 2
Robert Darnton (Estados Unidos, 1939)
John Makinson (Inglaterra, 1955)
Mesa dedicada ao destino do livro impresso. Medição: Cristiane Costa.

12h - mesa 7 - Além da Casa Grande
Alberto da Costa e Silva (Brasil, 1931)
Maria Lucia P. Burke (Brasil, 1946)
Angela Alonso (Brasil, 1969)
Mesa tem como proposta analisar a obra de Gilberto Freyre além de seu trabalho mais notório, "Casa Grande & Senzala". Mediação: Lilia Schwarcz.

15h - mesa 8 - Chá Pós-Colonial
William Boyd (Gana/Inglaterra, 1952)
Pauline Melville (Guiana/Inglaterra, 1948)
Mesa debate o que se convencionou chamar para analisar a obra dos autores participantes de "literatura pós-colonial". Mediação: Ángel Gurría-Quintana.

17h15 - mesa 9 - Promessas de um Velho Mundo
A. B. Yehoshua (Israel, 1936)
Azar Nafisi (Irã/Estados Unidos, 1946)
Mesa debate como o processo de paz no Oriente Médio é mostrado na literatura e como esta pode influenciar nesse processo. Mediação: Moacyr Scliar.

19h30 - mesa 10 - Em Nome do Filho
Salman Rushdie (Índia/Inglaterra, 1947)
Escritor fala sobre seu novo livro, "Luka e o Fogo da Vida", que terá lançamento mundial durante a Flip, e sobre sua condição de autor-síntese da literatura multicultural.

Sábado 7/810h - mesa 11 - Andar com FéTerry Eagleton (Inglaterra, 1943)
Crítico britânico fala sobre livro que contra-argumenta ideia pregada pelo escritor Richard Dawkins, convidado da Flip em 2009, sobre ateísmo e religião.

12h - mesa 12 - Albany, Nova York e Outras Aldeias
Colum McCann (Irlanda, 1965)
William Kennedy (estados Unidos, 1928)
Mesa debate a cidade como personagem central de uma obra literária. Mediação: Ángel Gurría-Quintana.

15h - mesa 13 - TabacariaAntonio Tabucchi (Itália, 1943)
Escritor italiano fala sobre diferentes vertentes de sua prolífica carreira. Mediação: Samuel Titan Jr.

17h15 - mesa 14 - A Origem do Universo
Robert Crumb (Estados Unidos, 1943)
Gilbert Shelton (Estados Unidos, 1940)
Mesa debate a história dos quadrinhos contemporâneos e do underground norte-americano. Mediação: Angeli.

19h30 - mesa 15 - O Som e o Sentido
Lou Reed (Estados Unidos, 1942)
Compositor fala sobre sobre os limites entre arte e contestação, letra e poesia, alta cultura e rock´n´roll. Mediação: Arthur Dapieve.

Domingo 8/8
9h30 - mesa Zé Kléber

11h45 - mesa 16 - Gilberto Freyre e o Século 21
José de Souza Martins (Brasil, 1938)
Peter Burke (Londres, 1937)
Hermano Vianna (Brasil, 1960)
Mesa encerra a homenagem a Gilberto Freyre com debate sobre a atualidade da obra do sociólogo.

14h30 - mesa 17 - Cartas, Diários e Outras Subversões
Wendy Guerra (Cuba, 1970)
Carola Saavedra (Chile, 1973)
Mesa debate diários e cartas como ferramente literária. Mediação: João Paulo Cuenca

16h30 - mesa 18 - Nacional, Estrangeiro
Benjamin Moser (Estados Unidos, 1976)
Berthold Zilly (Alemanha, 1945)
A visão da literatura brasileira no exterior é um dos temas desta mesa.

18h15 - mesa 19 - Livro de Cabeceira
Convidados da Flip leem trechos de seus livros prediletos

*Os mediadores de algumas mesas ainda não foram definidos pela organização da Flip. Assim que forem, acrescentaremos a informação.

8ª FESTA LITERÁRIA INTERNACIONAL DE PARATY - FLIP
Quando: de 4 a 8 de agosto
Onde: Paraty - RJ
Quanto: R$ 10 (mesas literárias e conferência de abertura na Tenda do Telão) e R$ 40 (show de abertura na Tenda do Telão e mesas literárias e conferência de abertura na Tenda dos Autores).

Estudantes pagam meia entrada. Ingressos serão vendidos a partir de 5/7 pelo site http://www.ticketsforfun.com.br/, nos pontos de venda desta empresa (veja endereços no site da Tickets For Fun) e pelo telefone 4003-0848.Mais informações: http://www.flip.org/

lançado ônibus movido a hidrogênio

Antes foi o sucesso do pró álcool que foi quase esquecido, agora não podemos deixar que outros interesses joguem mais esta grande alternativa criada pelo Brasil no lixo do esquecimento.Vamos divulgar, é BRASIL, um Brasil que muitos não acreditam. Vejam:http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2010/05/26/lancado-onibus-movido-hidrogenio-que-nao-polui-nem-faz-barulho-916693334.asp


Vitória dos cidadãos
Escrito por CRISTOVAM BUARQUE *

Desde 1986, o ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso reúne no BNDES um grupo de pessoas para debater temas de importância nacional. Nesta semana, o Fórum Nacional realizou a sua 22a sessão.

Reunir pensadores ao longo de 24 anos é um feito. Debater de maneira aberta, sem preconceito, ouvindo todas as ideias, é um mérito do Fórum Nacional. Mérito ainda maior é preencher o vazio de ideias e propostas que caracteriza o Brasil atual.

Esta semana, o Fórum reuniu diversas pessoas para debater formas de fortalecer as instituições políticas do país. Uma das mesas foi sobre a modernização do Congresso.

Uma observação nessa mesa foi afirmar que o Brasil tem o Congresso mais moderno do mundo, do ponto de vista técnico. Tem rádio, TV, computadores em rede, prédio confortável, jornal, profissionais competentes.

A outra mostra que o Congresso está atrasado do ponto de vista eleitoral, político e ético.

Durante o debate foram apresentadas sugestões concretas de como fazer essa modernização: proibição de mais de uma reeleição consecutiva; redução da duração do mandato de senador; possibilidade de candidatura independente de partido; divulgação on-line de todos os gastos do exercício do mandato; realização de sessões plenárias em todos os dias úteis ao longo de três semanas, reservando uma semana por mês para visitas às bases eleitorais; perda do mandato para parlamentares nomeados para cargos no Executivo; criação de comissão permanente de inquérito e de comissões especiais provisórias para enfrentar os grandes problemas nacionais; obrigatoriedade do cumprimento dos mandatos de prefeitos, governadores e presidentes até o final, impedindo-os de disputar eleição para o período seguinte; declaração de “moratória partidária” por seis meses para permitir a reorganização dos partidos como forma de dar-lhes mais identidade; campanhas eleitorais apenas com recursos de fundo público; programa eleitoral gratuito limitado às falas dos candidatos; caracterizar como quebra de decoro o uso de serviços privados de saúde e educação por parlamentares e seus familiares; submeter todas as declarações dos eleitos à fiscalização da “malha fina” da Receita Federal; proibir alianças eleitorais para cargos executivos no primeiro turno; separar as eleições federais das estaduais; substituir o título de “deputado” por “representante do eleitor”.

Mas a grande modernização será entender, aproveitar e submeter o Congresso às possibilidades de interação com a “praça virtual” onde a “população está se reunindo”, por meio de e-mails, twitters, blogs etc. A votação da Lei Ficha Limpa na quartafeira foi uma vitória da ética na política.

Ainda maior foi o exemplo de como o poder direto do povo consegue hoje penetrar, pressionar, conduzir os parlamentares. Foram milhões de assinaturas e dezenas de milhões de mensagens que conduziram o Congresso a decidir conforme a população queria e não apenas conforme os desejos e os temores dos parlamentares.

Por meses, o Brasil esteve nas ruas e praças virtuais.
A grande modernização da atividade congressual está na utilização dos modernos meios e técnicas de informática para tomar as decisões que o país precisa, sem abrir mão da reflexão que o Congresso permite.

Obviamente, esta modernização exige uma revolução educacional que incorpore toda a população no acesso aos meios de comunicação.Se a democracia assegura, e até obriga, acesso de todos à urna, a nova democracia participativa exige que todos tenham acesso aos equipamentos de informática, tanto dispondo deles, como sabendo usá-los.

É, portanto, na revolução educacional que está a chave da modernização política. Até lá, porém, cabe ao Congresso abrir-se ao contato com os “cidanautas” - cidadãos internautas - e, sobretudo, que defina políticas que ampliem o número destes novos cidadãos e aos assuntos de suas preocupações. A vitória dos “cidanautas” com o Ficha Limpa precisa ser ampliada para todos os brasileiros e todos os temas que interessam ao Brasil.

* Senador (PDT-DF)

DE SETE LAGOAS A BERLIM E REPÚBLICA TCHECA





























De 24 a 28 de maio /2010 – BERLIN/ ALEMANHA – GALERIA BERLIN AM MEER
DE 28 DE JUNHO A 09 DE JULHO / 2010 – PRAGA/ REPUBLICA TCHECA – GALERIA DOLMEN

DEMÉTRIUS COTTA trabalha com a categoria abstrata no mundo das fotografias digitais. Recentemente foi convidado a compor a equipe de artistas brasileiros que estarão expondo suas obras na GALERIE FORUM BERLIM AM MEER / ALEMANHA (em maio - 2010) e na GALERIE DOLMEN / REPÚBLICA TCHECA (junho-2010). Tendo marcado presença também, na Berevino WineBar Gallery /Itália (fevereiro – 2010).
Sua base compositiva é o desenvolvimento de pesquisas conceituais em torno da Luz e Sombra evocando um barroco impunemente contemporâneo com bases fincadas na ideologia chiaroscuro de valores contrastantes. Por esses valores a representação de um objeto enfatiza o efeito dramático da perspectiva tonal e sua incidência sobre um corpo físico.
Essas fotografias selecionadas para exposição na Europa fazem parte de uma idealização desenvolvida, a priori, no mundo da pintura cujos pressupostos contrariam a linearidade da percepção documental do espectador, ou a alimenta.
Nessa particular representação as formas não existem em um espaço temporal e sim em um eixo metafísico em oposição a uma estrutura definida. Nesse sentido os corpos e objetos não aparentam independencia de um plano de projeção. O foco dessa abordagem, nos ensaios fotográficos desse artista portanto, é o instante chiaroscuro ( Claro e Escuro) de uma vivência atemporal com valores em ascensão no mundo das artes fotográficas. Ainda em relação a sua obra a psicanalista e curadora de arte paulistana; Paula França, diz:
“ Demetrius Cotta desenvolve transposições pictóricas, sua visão é aquela do pintor abstrato que através da desestruturação da realidade palpável cria a sua própria idéia de mundo.”

fOTOS EM ANEXO E OUTRAS DISPONIBILIZADAS PELO ENDEREÇO: http://www.flickr.com/photos/nut-acao/

A Rede aan! é uma rede de distribuição de conteúdo cultural e artístico. Seu foco é multifacetado com ênfase em discussos de política cultural. Nesse sentido é uma rede pró-ativa que desenvolve sua proposta de potencializar colaborativamente com as comunidades latino-americanas e península ibérica, seus ideais de elevar o nível qualitativo em torno dos processos culturais.

Ponto de Partida em Sampa









O Grupo Ponto de Partida estará em São Paulo para gravar o DVD do lindo espetáculo "Pra Nhá Terra". Aproveitem a oportunidade para celebrar o DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE com esse acontecimento tão especial!
Ajude a divulgar!
Até lá!
http://www.grupopontodepartida.com.br/

Fábrica do iPhone na
China registra o 10º suicídio

A Foxconn, unidade fabricante do iPhone para a Apple na China, registrou o suicídio de mais um funcionário na quarta-feira (26). A décima morte ocorreu horas depois do presidente do conselho da empresa prometer vida melhor para os funcionários na fábrica ao sul do país.
A empresa não deu detalhes sobre a morte, mas a agência chinesa de notícias oficial Xinhua disse nesta quinta-feira que um inquérito policial inicial indica que o homem de 23 anos, do noroeste da China, cometeu suicídio ao pular da sacada de um sétimo andar do dormitório.

Outro funcionário da Foxconn na unidade de Shenzhen tentou cortar os pulsos, mas sobreviveu com o atendimento médico, segundo a Xinhua.
As mortes chamam atenção para as práticas de trabalho da Foxconn, unidade da taiwanesa Hon Hai Precision Industry, cujos clientes incluem Apple, Hewlett Packard e Sony Ericsson.
A Apple e outros clientes disseram que estão investigando as condições de trabalho na Foxconn, que enfrenta críticas sobre sua cultura corporativa secreta.
Os trabalhadores vivem no interior do complexo da fábrica e montam produtos para as principais empresas de telefonia e informática do mundo em turnos de dia e noite.
Apenas algumas horas antes de os últimos relatos, o geralmente tímido presidente do conselho da Foxconn Terry Gou abriu as fábricas da empresa em Shenzhen a jornalistas e prometeu tomar medidas radicais para evitar mais mortes.
Todos os dez óbitos foram de trabalhadores migrantes jovens, entre os milhões que deixam o interior pobre da China para as cidades em forte crescimento nas áreas litorâneas em busca de trabalho e salários elevados.

dedos dados




a mão nessa garrafa
não tem lance de dados
mas tem
dedos de louça
sensíveis
dedos de fada

pensando Cecília Meireles
não sei se alegres
ou tristes

mas sei:
esses dedos existem


Assessor de Lula rebate Serra e o classifica
de "exterminador da política externa"
fonte: http://www.uol.com.br/

O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, rebateu nesta quarta-feira as críticas do pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, à relação do Brasil com a Bolívia, classificando o tucano como "o exterminador do futuro da política externa" do país.
Ontem, Serra disse que o governo boliviano, do esquerdista Evo Morales, "é cúmplice" do tráfico de cocaína para o Brasil.

"O presidente Serra está tentando ser o exterminador do futuro da política externa. Ele quis destruir o Mercosul. Agora, quer destruir nossa relação com a Bolívia. O Mahmoud Ahmadinejad virou Hitler. Eu acho que talvez ele esteja pensando, na política de corte de despesas, em fechar umas 20 ou 30 embaixadas nos países nos quais ele está insultando neste momento", disse Garcia.

O assessor presidencial afirmou ainda que Serra "deveria ser mais prudente" em suas declarações, que não são compatíveis com as suas "aspirações" ao cargo de presidente.
O tucano fez a declaração em entrevista a um programa de rádio, quando falava sobre a ideia de criar um Ministério da Segurança Pública caso ele seja eleito sucessor do presidente Lula.

"A cocaína vem de 80% a 90% da Bolívia, que é um governo amigo, não é? Você acha que a Bolívia iria exportar 90% da cocaína consumida no Brasil sem que o governo de lá fosse cúmplice? Impossível. O governo boliviano é cúmplice disso. Quem tem que enfrentar esta questão? O governo federal."

Depois do programa, questionado pelos jornalistas, o pré-candidato do PSDB afirmou que o governo boliviano faz "corpo mole" ao permitir que, "de 80%, 90%" da cocaína que entra no Brasil venha "via Bolívia".

"É um problema de bom senso. Você acha que poderia entrar toda essa cocaína no Brasil sem que o governo boliviano fizesse, pelo menos, corpo mole? Eu acho que não", disse Serra, que definiu a afirmação sobre a suposta conivência do governo do presidente Evo Morales com o tráfico de drogas como "uma análise": "Eu não fiz uma acusação".

Para Serra, o que afirmou sobre a Bolívia não é motivo para um incidente diplomático: "Por que? A melhor coisa diplomática é o governo da Bolívia passar a combater ativamente a entrada de cocaína no Brasil, não apenas o Brasil combater", afirmou.

A necessidade de o Brasil combater o narcotráfico nas fronteiras foi citada pelo tucano como uma das razões para criar um ministério para a área de segurança. "Estou falando de coisas que nós podemos fazer. Com relação ao governo boliviano, nós não podemos obrigar. Estou apenas registrando isso", disse.

O ministro da Presidência da Bolívia, Oscar Coca, reagiu às declarações. "Ele não tem nada que falar. Se possui provas, que as mostre, senão o cúmplice é ele", afirmou.

"On the Road"




Walter Salles se diz cético sobre filme de "On the Road"

O diretor Walter Salles esteve no lançamento do livro "Na Estrada", do jornalista e crítico Marcos Strecker ontem (26) em São Paulo. A obra traz uma análise completa de seus filmes no formato de cinebiografia. "O livro narra a vida com o cinema e o cinema pela vida", resume Strecker.
O autor aborda filmes de estrada como "Central do Brasil" e "Diários de Motocicleta". Mas, para ele, o "road movie por definição e essência" de Salles será o longa baseado no livro "On the Road" (traduzido no Brasil como "Pé na Estrada"), de Jack Kerouac.
Porém, o diretor ainda não confirma as filmagens. "'On the Road' é um projeto que existe há 40 e poucos anos, então ele virá a acontecer mesmo no momento em que a claquete final for batida.
Até lá, eu mantenho um ceticismo e um desejo muito vivo de torná-lo possível", explica.
Apesar das incertezas quanto ao longa, o documentário ainda inacabado "À Procura de 'On the Road'" ganha solidez. Para esse projeto, Salles refez a viagem registrada no livro a fim de investigar a possibilidade de fazer o filme propriamente dito.
Sobre o elenco, ele prefere não falar, pois ainda não estaria definido. O projeto é produzido por Francis Ford Coppola, que já tentou adaptar a obra beat e a quem os direitos autorais pertence. Gus van Sant, Jean-Luc Godard e outros diretores também não conseguiram concretizar suas versões.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

semana da imprensa começa nesta quinta

Exposição de fotografias, debate, lançamento de livros, exibição de filmes e até uma partida de futebol vão marcar a tradicional Semana da Imprensa, que começa na próxima quinta-feira (27) e segue até o dia dois de junho, em Campos. A abertura será com a mesa "Seis meses sem Monitor Campista", às 19h, na Sala 220, na Faculdade de Filosofia de Campos. O evento é promovido pela Associação de Imprensa Campista e a entrada é franca.

Na sexta (28), às 19h, também na Fafic, será exibido o documentário "Abaixando a máquina - Ética e Dor no Fotojornalismo Carioca”, seguido da mesa com fotógrafos campistas. Sob direção de Guillermo Planel e Renato de Paula, o filme mostra o cotidiano dos fotógrafos dos principais jornais do Rio de Janeiro, discute a ética do ato de fotografar e apresenta as angústias e dilemas vividos por eles. Às 22h, a comemoração continua na Noite Etílico-Jornalística no Vinil (no Relicário Bistrô, em frente ao Isepam).

Já no sábado, a partir das 9h, é a vez da Imprensa Pelada - Futebol dos coleguinhas, no Clube Folha Seca. Todos podem participar; o time será formado na hora. Às 16h, vai ao ar mais uma edição do Cine Jornalismo AIC, com o filme: "O Passo suspenso da cegonha" (comentador: Alexandro F). Em seguida, será inaugurada uma Mostra Fotográfica, no Bar Chega Eh (Rua Alonso Coelho da Silva, 34, Turf), sob curadoria da jornalista Patrícia Bueno.

— Trata-se de uma pequena galeria permanente, com trabalhos de 11 fotógrafos profissionais e amadores de Campos. É uma forma de valorizar a arte da fotografia, dar mais visibilidade ao talento dos profissionais e, claro, tornar o ambiente muito mais interessante. As imagens misturam cotidiano, poesia, humor, criatividade e, acima de tudo, olhares sensíveis — explica Patrícia.

Mais atrações – A segunda-feira (31) será marcada por três lançamentos de livros, em parceria com a Academia Campista de Letras. Dentro da Série Azevedo Cruz (poesia), o acadêmico Vilmar Ferreira Rangel vai lançar "Dança entre dorsos tensos". Já da Série José Cândido de Carvalho (ficção) fazem parte: "Lá, onde o vento faz a curva", de José Cunha Filho e "Páginas escolhidas", de Joel Soares.

Na terça-feira (1) será gravada a segunda edição do Projeto Memória AIC, com o jornalista Fernando da Silveira. Encerrando o calendário de atrações, o Grupo Ébano fará um Tributo a Wilson Batista, na quarta (2), no auditório da Fafic. Todos estão convidados a participar da roda de samba, que será comandada pelos músicos: Ed, Dudu e Tico Floriano. O Ébano tem dois anos de carreira e sempre apostou seu trabalho na valorização do samba dos grandes mestres, incluindo os bambas de Campos.

A programação completa da Semana da Imprensa está nos blogs
http://associacaodeimprensa.blogspot.com/
e http://www.urgente.blogspot.com/

Apple ultrapassa Microsoft

O valor de mercado da Apple ultrapassou o da Microsoft nesta quarta (26). No fechamento do mercado de ações norte-americano, a empresa – fabricante de Macs, iPhones e, mais recentemente, iPads – chegou a US$ 222,07 bilhões, enquanto o valor do negócio da Microsoft fechou em US$ 219,18 bilhões. Durante o pregão, a Apple chegou aos US$ 227,1 bilhões.
Com US$ 278,64 bilhões, a Exxon Mobil continua à frente das duas empresas de tecnologia como a única companhia americana com valor maior de mercado.

Segundo o “New York Times”, essa foi uma das maiores mudanças já registradas, pelo fato de a Apple ter sido praticamente dada como “morta” há cerca de uma década. O rápido crescimento da empresa, explica a publicação, também mostra uma mudança cultural: o gosto dos consumidores se sobrepôs às necessidades dos negócios como a principal força de liderança no mercado de tecnologia.

A Microsoft, responsável pela plataforma Windows e o pacote Office, dominou a relação que a maioria dos usuários tinha com seus computadores por quase duas décadas. Mas, como lembra o “NYT”, o teclado das máquinas deu lugar a telas sensíveis ao toque dos telefones celulares inteligentes. “É a maior reviravolta que eu já vi no Vale do Silício”, disse ao jornal Jim Breyer, um investidor que já colocou seu dinheiro em algumas das empresas de tecnologia de maior sucesso.

As ações da Apple valem hoje dez vezes mais do que há dez anos, um resultado da revolução do consumo de eletrônicos provocada pela empresa, que passou a vender produtos com estilo diferenciado, de fácil manuseio, como o iPod, iPhone e MacBooks.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

clara brito hoje na flor do horto
















bela mais que bela
qual será o nome dela?

coloco em tuas mãos
quatro rosas de vento
skol vodka ice
e um desejo abstrato
nesse poema concreto

deixo em tuas mãos
a flor e o objeto
além meus olhos sedentos
nestes teus dedos de louça




bela mais que bela
ninguém sabe o nome dela

1

bebo em teus olhos serenos
o líquido que ele olha

minha língua molha
onde a tua bebe
música
que chove lá fora

2

este piercing
em teu nariz

me dói
não ser meus dedos

poemas em tua boca
pronomes em tua fala

por entre cores e nomes
um disco de Cássia Eller
tocando na tua sala

3

dama da noite
bela
onde será teu endereço?

cão vadio que sou
vou latir em tua porta
proteger tua morada

catar estrelas cadentes
brincar de são Jorge na lua
onde mordo o dragão da maldade
e te beijo vestida de nua





clara joplin
para clara brito

clara tem a voz
que rasga
arara rara
dessa selva clara

tua voz
entorta
abre portas
de qualquer corpo
humano

estica nervos
estala
ossos
atiça línguas
pra rasgar
os panos

herdou de janis
a garganta santa
a voz pagã
voz de arrepio
quando clara
canta
é fogo no pavio
ínsita os deuses
diabos
dos navios
e faz meninas
desabrochar os cios

artur gomes
http://courocrucarneviva.blogspot.com

Hoje (terça 25) tem Clara Brito com sua personalíssima e seu esplêndido repertório no bar Flor do Horto, ali na Alberto Lamego, a partir das 21:00h, para sacudir a pasmaceira dessa canibália city.

Mundaneidade
para waly Salomão, em memória

abro o corpo ao que lhe é próprio
ao mundo e seus resíduos tóxicos
ao ópio perfurando pregos no cérebro
aos vícios que reviram o branco dos olhos
às fumaças que pintam de vermelho o teto das ruas
às ficções que rompem o casulo larvar da imaginação
reergo as dobras, os ossos, os canais circulatórios
as glândulas, as fibras musculares que sustentam o eu mínimo

já não há nada entre alheio e próprio
e as certezas foram varridas para fora do mundo
sou amigo do caos
penetro nos horizontes pelas janelas fechadas
pulo parapeitos para que venenos mordam meu corpo
que a tudo se acopla
sou amigo do caos e bebo fogo na taça do mundo

cansanção, arruda, guiné, daime, comigo-ninguém-pode
me protejam da antivontade do olho gordo, da urucubaca,
da inveja

que mói e cola as entranhas ao ego
delirante, meu corpo se rende
ao afeto despedaçado das casas e ruas
e rejeita o bom-mocismo da escrita com “missão a cumprir”
de “missão” só a demissão dos papéis prontos

e que o poema continue metonímia da pele
que raspo com gilete toda manhã (à maneira de Horário poetar)
e coço forte quando sinto cheiro de repetição

Sandro Ornellas
Do livro: Trabalhos do Corpo e Outros Poemas Físicos
Letra Capital – 2007
Contato: e-mail ssornellas@gmail.com

wek end





















Depois de uma noite de sexta super agitada, estrada fulinaíma blues poesia lá por Macaé atlântico afora , o sábado nos reservou a alegria de poder ser testemunha da festa sonora no Espaço da Bola, com os Avyadores do Brazyl, Luizz Ribeiro, Sérgio Máximo, Sérvulo Sotto e Júnior, além da participação especialíssima de Clara Brito. Além ainda da linda galera presente auxiliando sol a iluminar a mágica tarde de 22 de maio.

Domingo é para se ouvir música que faça bem aos ouvidos e ao coração, que não firam os tímpanos, dessas que não tocam mais na mediocridade dessa idade mídia. Gal Costa, Carlos Careqa, Marco André, Zeca Baleiro, Capital Inicial, Marko Andrade, Celso Blues Boy e Simone Almeida, preencheram minha manhã antes do futebol.

Hoje recebo direto de Salvador, presentes memoráveis do meu amigo Lima Trindade, o seu magistral Todo Sol mais o Espírito Santo, um livro de contos de tirar o fôlego, e Trabalhos do Corpo e Outros Poemas Físicos do brasiliense também radicado em Salvador, Sandro Ornellas, agora é devorá-los e depois re-inventar metáforas.

canibália city 1
poema anti metafórico

maria da penha
olha o namorado
:
pega mata e come
:
e não consegue
matar a própria fome


Deu no "Estado de Minas"
ONDAS SONORAS
Trilheiro profissional
Márcio Brant, que faturou prêmio no Cine-PE dá aulas de design de som na Fumec e garante que o mercado está de portas abertas para a área
Gracie Santos

Trilheiro não é só quem percorre trilhas de terra em sua moto possante. É também aquele cara que faz trilhas sonoras para filmes. Trilheiro (desse segundo time), professor e músico profissional, Márcio Brant (mais um integrante da criativa “família que cai em pencas, se você balançar a árvore”) tem currículo recheado para quem está apenas com 29 anos. Lançou disco em 2005 (Fábrica de sonhos); prepara o próximo (Silêncio) para o ano que vem; compôs para longa norte-americano (Flood Street, de Greg Samata); dá aula de design de som na Fumec; e acaba de coroar seu trabalho – realizado há quase 10 anos – com o primeiro prêmio: o de melhor trilha sonora para Revertere ad locum tuum, de Armando Mendez, no conceituado festival de cinema Cine PE.

Sócio de Felipe Santoni em NaTrilha, instalado em endereço histórico da cidade, onde, na década de 1970, funcionava o estúdio de Milton Nascimento, na Rua Timbiras (“Já disse pra ele que ocupo um lugar que traz boa energia boa, onde você respira música. Muita gente vem aqui e relembra coisas do passado”), Márcio Brant está feliz com a nova conquista, principalmente porque, como avisa: “Apesar de fazermos publicidade e outras coisas, nosso foco é cinema”. “O troféu que Armando Mendez recebeu em Recife vai ficar aqui no estúdio. Acho que é só o começo da trilha que o filme vai seguir. Acaba de ser selecionado para p 14º FAM2010Florianópolis Audiuovisual Mercosul Festival Fórum (de 11 a 18 de junho).”

“Fazer trilhas é um trabalho muito em conjunto com os diretores. É preciso pensar que você está criando música para uma imagem, essa é a primeira diferença do disco. É preciso ter antes as informações do diretor, saber do que ele gosta”, explica. No caso de Revertere ad locum tuum, conta que Armando Mendez lhe deu muita liberdade. “Ele aprovou de primeira, houve muita sinergia. Fazer música para cinema tem magia. São duas linguagens caminhando juntas”, afirma.

Como professor, Márcio Brant não se cansa de avisar aos alunos que não basta fazer música, mas também deixar espaço para o silêncio (“importante, como comprovam obras de Stanley Kubrick” – Márcio é mestre pela Escola de Belas Artes da UFMG com trabalho sobre o cineasta), para a voz do personagem, os ruídos, os efeitos especiais.

Propaganda enganosa

Márcio Brant acha que ajudam bastante a confundir as pessoas os lançamentos de discos de filmes e novelas. “Neles, estão apenas as músicas, quase nunca a trilha feita para o cinema. Muitas vezes, há faixas que nem tocaram no filme”, afirma. E cita como exemplo Almost Alice, do mais recente filme de Tim Burton. Outra coisa que ele gosta de ensinar é que o diretor “quase sempre” tem razão quando mexe no trabalho do trilheiro. A trilha não pode atrapalhar, é preciso criar elementos que ajudem a contar a história. Há muitos casos de música feita para um personagem que funciona melhor se trocada de lugar”, admite, cintando John Williams, autor das trilhas de Spielberg, “que compõe série de músicas e deixa tudo a serviço do diretor. É trabalho a quatro mãos.”

Único longa para o qual Márcio Brant compôs, Flood Street aborda sobre a formação escola de boxe em New Orleans (EUA), depois do furacão Katrina, como forma de ressocialização. “O documentário esteve no circuito independente, em festivais, foi bastante exibido”, conta. O trabalho surgiu em 2006, quando um amigo pianista, Ademir Chaves, morava em Nova York. Ele conheceu o diretor e lhe contou sobre o estúdio em BH. “Fizemos muita coisa por skype”, revela.

“Foi uma experiência diferente, principalmente porque Greg Samata tinha muita consciência do som, o via como algo tão importante quanto a imagem.”A diferença entre fazer trilhas para longas e curtas, para Márcio Brant não é muito grande. “No longa, você desenvolve o som para um personagem que vai ficar em cena uma hora e 40 minutos. É preciso ter maior variação. Mas em termos de conceito é a mesma coisa. Você estabelece determinado clima, instrumentação e vai caminhando. No curta, o espaço é menor, por isso, às vezes, mais difícil. É preciso cuidado para não virar um videoclipe, se você enche o filme de música, é o que vai ocorrer.”

Desenho do som

Professor da “única faculdade do país que tem design de som como disciplina na grade curricular (é oferecida durante os quatro anos do curso de design gráfico)”, Márcio Brant diz que, no exterior, ao contrário daqui, a oferta da matéria é grande. “E BH tem muito mercado. A cadeira é mutável. Você pode trabalhar o som de uma marca. O designer de som é o profissional apto a isso.” Ele cita a vertente, do light designer, “profissional que trabalha o conceito de iluminação e está ligado a todo o processo. É o cara que trabalha do início ao fim, cria espécie de roteiro da luz e vem sendo cada vez mais valorizado.’’

A profissão de desenhista de som está ganhando importância no cinema brasileiro, da mesma forma que a criação de efeitos sonoros, a mixagem. “O primeiro professor da matéria na Fumec foi Luiz Naveda, que está na Bélgica. Depois, foi a vez de Ricardo Aleixo, que continua e divide a disciplina comigo. Ele é um poeta sonoro e, por isso, reforça mais essa área, enquanto fico mais voltado para o mercado”, explica, antecipando que a faculdade vai promover, em junho (em data a ser definida), mostra de trabalhos realizados pelos alunos, que será aberta ao público. “O evento terá três dias. Vamos abordar o cinema de Tim Burton, de Jean-Luc Godard, além de mostrar trabalhos criados durante o curso.”

De banda

O primeiro CD de Márcio Brant, Fábrica de sonhos (2005), foi “algo bem enraizado no Clube da Esquina. O próximo, Silêncio, será um disco mais de banda. Vamos entrar no estúdio e elaborar tudo, sempre acreditei na criatividade em conjunto. Quando você se cala, ouve várias coisas ao redor”, diz. Ele se orgulha de “trabalhar com a música em todas as vertentes, como pesquisador, cantor, professor e trilheiro” e incentiva os alunos a seguirem esta última profissão, “que tem extenso mercado de trabalho.”

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná