quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Índia Mãe da Lua



Poeta, compositora, multi-instrumentista, considera a música uma grande ferramenta de unificação entre os seres. Nascida no Rio de Janeiro, criada em Brasília, viajou pelo Brasil e Europa, onde, entre outras, representou o Brasil, com sua música e ações coletivas de artes integradas, na Feria Internacional de los Pueblos, em Mija, Espanha.

Nos últimos anos, vive entre Pernambuco e a Chapada dos Veadeiros (Goiás), viajando aonde a Arte a leva. Já ministrou aulas de percussão, incluindo a cultura afroindígena, em Marbella (Espanha). Possui uma capacidade admirável de tocar instrumentos: violas de 10 e 12 cordas, citarola, banjo, gaitas de fole e harmônica, flautas indígenas, persas, doce, dupla etc., com especial desempenho nos percussivos: alfaia, djambê, zabumba e o que mais vier.

Acostumada em casa, com sua família de músicos: avós violinistas, mãe pianista, irmão percussionista, Índia Mãe da Lua desenvolveu o encanto pela música desde criança. Possuidora de uma característica irreverente, aonde chega conquista e convida os músicos a participar das suas apresentações. É uma música universal, mistura e combina idiomas seculares, milenares, como o Sânscrito, o Tupi e o Maia. Tudo acompanhado por instrumentos exóticos, étnicos e de própria criação, para dar forma a músicas contemporâneas. Como ela mesma diz, "no canto da música não há diferenças sociais, todos se unem. Muitos esquecem a tristeza e começam a dançar. Música não é só som, é vibração que transmuta as pessoas". Para ela, é prazeroso compor um poema que pode ser cantado em maracatu, xote ou baião. Unindo blues com ciranda, facilmente se cria uma “ciranda abluesada”.

A música é como escultura em barro que ela transforma a cada toque, ritmo, que vai do tribal ao rock espacial, usando sintetizadores modernos. Ao perguntar o que ela sente com a música, responde: “Não me sinto, só sinto. A magia do universo traz inspiração para as minhas composições. Somos todos condutores e receptores de energia cósmica”.

A música é um grande veículo de comunicação. Através dela, Mãe da Lua passa mensagens de proteção e preservação à Natureza, "da qual somos parte, não donos", fonte de inspiração para suas composições, concebendo o ritmo através da manifestação dos pássaros, das flores, dos cristais, das cascatas, do sol, dos ventos, da lua, do mar.

Mayra Rodrigues em http://altfestolinda.blogspot.com

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná