fulinaíma

domingo, 22 de maio de 2011

Alcinéia Macucci e a Literatura de Cordel

 
Olá Artur! Velho paizão coruja!(risos)... Parabéns pela pele grafia e pela Doçura que é Alice!!!Chegando do serviço e lendo seu blog dei uma leve relaxada, uma tradicional viagem por entre as palavras...
Bem que a realidade escolar poderia ter um pouco de poesia na atitude e nos modos de ações e reações ao ser humano em geral. O doce anda azedando, assim como os professores dando a cara a tapa como o governo tanto sonhou para 70% de alunos anestésicos....
Bem que os alunos poderiam ter a poesia no sangue, a sensibilidade aflorada como têm os hormônios e as indisciplinas...
Trabalhando literatura de cordel com as 7ª séries, li O Cordel do Amor Cego de Orlando Paiva e para minha surpresa até mesmo os alunos mais resistentes se entregaram a história e acabei tendo que ler mais uns três outros temas. Eles possuem certa queda emocional pela vida que é emoldurada pela arte mas sinto que preferem o silêncio do comodismo do que o barulho da construção das idéias.Querem as fórmulas prontas, poucas palavras, possuem o medo do novo e até deles mesmos eu acho.... Está sendo uma loucura dar uma rasteira nesta realidade para eles abrirem as portas para a expressão, apenas a expressão, sentimentos e valores....

Acredito que a Literatura de Cordel trouxe sim um alvoroço na mente da garotada, até o garoto "pânico" da sala disse que iria me trazer o vídeo que circula na internet e que seria a base da história que li para eles. O duro são estes benditos vídeo- games, programas de TV populares que massacram e ridicularizam a figura humana, sites pornográficos em seus celulares sofisticados vencendo a essência da cultura e a produção da sensibilidade. Criando Zumbis máquinas que nós professores temos que moldar destruindo as engrenagens fabricadas numa velocidade aterrorizante pelo mundo digital, para sentir a vida a pulsar além das teclas e botões juntamente com a pressa como que se tudo se criasse ou se resolvesse num clique

Realmente a vida oferece vários caminhos, vai da garotada ter suficiente sabedoria adquirida por suas vivências para escolher o caminho para seguir em frente, abrir a mente, e construir a história dentro desta vida breve de instantes e escolhas que fazem a diferença. Sinto às vezes uma certa revolta interna de ver que muitos não se preocupam em desvendar suas próprias interrogações descobrindo suas potencialidades.

Alcinéia Macucci -
http://artedafemea.blogspot.com/
Grande abraço e continue a sacudir as palavras!


Um comentário:

Planeta do PM3 disse...

Boa noite, fiquei feliz por ter trabalhado meu Cordel em sala de aula. Espero que seus alunos tenha gostado.
Abraços
Orlando Paiva
Porto/PI

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná