fulinaíma

sábado, 8 de outubro de 2011

o duplo


o duplo

debaixo de minha mesa
tem sempre um cão faminto
- que me alimenta a tristeza

debaixo de minha cama
tem sempre um fantasma vivo
- que perturba quem me ama

debaixo de minha pele
alguém me olha esquisito
- pensando que eu sou ele

debaixo de minha escrita
há sangue em lugar de tinta
- e alguém calado que grita.

Affonso Romano de Sant´anna

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná