fulinaíma

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Nitroglicerina pura: tesoureiro de Cachoeira pode depor na CPI



Escândalo Cachoeira jogou na lama as imagens de éticos e intolerantes à corrupção de Demóstenes Torres, do PPS de Stepan Nercessian e de toda a oposição e imprensa comprometida com o esquema do contraventor
Foragido, tesoureiro de Cachoeira quer 'cooperar' com CPI 

Apontado pela Polícia Federal como o arquivo vivo do esquema de pagamento de propina a políticos e servidores públicos comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Geovani Pereira da Silva está "pronto para cooperar" com a CPI instalada para investigar o caso. O porta-voz do recado é seu advogado, Calisto Abdala Neto, que tenta garantir a liberdade do cliente.

Para a Justiça, o homem apontado como tesoureiro de Cachoeira é considerado foragido há quase dois meses. A ideia da defesa de Geovani é mantê-lo "resguardado" até que a Justiça revogue a ordem de prisão contra ele.

Para isso, o advogado impetrou habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, em Brasília, para anular a ordem de prisão, e deve entrar também com outro pedido de liberdade ao juiz federal Paulo Augusto Moreira Lima, responsável por deflagrar a operação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

"Ele (o Geovani) está pronto para cooperar com a Justiça e com a CPI", afirmou Abdala Neto. O advogado disse que, a princípio, o tesoureiro poderia se defender das acusações das quais é alvo no Congresso e "contribuir" com as investigações. "Ele tem de responder por aquilo que ele fez".

Para mostrar a disposição do cliente em ajudar, o advogado disse que, se ele for convocado para depor na CPI, não deve entrar com habeas-corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para depor como testemunha, e não como investigado. Na condição de testemunha, teria a obrigação de falar a verdade e não poderia permanecer em silêncio.

O tesoureiro tem muito a esclarecer. Um relatório do Instituto Nacional de Criminalística (INC) da PF revelou que Geovani fez saques de R$ 15,4 milhões nos últimos dois anos das contas de empresas apontadas pelos investigadores como sendo de fachada. O contador fez mais de uma centena de retiradas das contas de cinco empresas, das quais tinha procuração para realizar tais movimentações.

fonte: www.palavrasdiversas.blogspot.com

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná