fulinaíma

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Navegar é Preciso Viver Nâo é Preciso

foto: Larissa Rangel

Todo Azul Do Mar

Flávio Venturini


Foi assim, como ver o mar
A primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar
Não tive a intenção de me apaixonar
Mera distração e já era momento de se gostar
Quando eu dei por mim nem tentei fugir
Do visgo que me prendeu dentro do seu olhar
Quando eu mergulhei no azul do mar
Sabia que era amor e vinha pra ficar
Daria pra pintar todo azul do céu
Dava pra encher o universo da vida que eu quis pra mim
Tu...do que eu fiz foi me confessar
Escravo do seu amor, livre pra amar
Quando eu mergulhei fundo nesse olhar
Fui dono do mar azul, de todo azul do mar
Foi assim, como ver o mar
Foi a primeira vez que eu vi o mar
Onda azul, todo azul do mar
Daria pra beber todo azul do mar
Foi quando mergulhei no azul do mar

Navegar é Preciso Viver Não é Preciso
Hoje acabei de editar mais dois vídeos para a Mostra de Cinema Ambiental, que pretendo realizar no IFF por ocasião da Semana do Saber Fazer Saber. Um deles tem imagens captadas ontem na UPEA (Unidade de Pesquisa e Extensão Agroambiental) tendo em sua trilha sonora duas belíssimas canções do compositor/cantor paulista Madan, sobre poemas de Augusto de Campos e José Paulo Paes. O segundo  tem imagens captadas pelos canais dos Mangues de Gargaú, tendo como companheiros de viagem pescadores e catadores de Caranguejo com trilha sonora Too Azul do Mar, essa magnífica canção do Flávio Venturini.

ArturGomes


Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná