fulinaíma

terça-feira, 17 de julho de 2012

MORTE SÚBITA




o acaso dispara uma frase
e atrás dela partem outras

letras-estrelas luzes ideogramas
serpentes trocando de escamas

galáxias se expandem signos explodem
palavras subvertem o instante

contra a morte dos nove sentidos
chuva de flechas xavantes

mas nem toda a arte (visagem)
desarma a realidade-bomba

na barra da guerra funesta
uma rajada inverte a paisagem

e o acaso dispara uma bala
e atrás dela partem outras

o anjo balança suas asas
na face ferida da tarde

o sol esquartejado (negra miragem)
espalha seu sangue na água

o olho cerrado embaralha as imagens
e entre o azul e o fim agora sabe

:nada será como antes
no quartel de abrantes

Ademir Assunção
Poema extraído do Livro
A voz do ventríloquo.
página 77

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná