fulinaíma

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF – último dia de inscrições


Amanhã 1º de março é o último dia para inscrições nas Mostras Competitivas do 1º Festival Nacional de Cinema do IFF, para as Mostras Não Competitivas as inscrições estarão abertas permanentemente.

Para quem não mora em Campos dos Goytacazes o endereço para o envio de filmes é:
Laboratório de Cinema – Oficina Cine Vídeo – IFF – Rua Dr. Siqueira, 273 – Parque Dom Dosco – Campos dos Goytacazes – 28030-130.

Para quem mora em Campos a inscrição pode ser entregue diretamente no IFF. O Regulamento e Ficha de Inscrição estão disponíveis aqui: www.portalfulinaima.blogspot.com ou www.iff.edu.br

Jura secreta 114

esse teu olho que me olha
azul safira
ou verde esmeralda fosse
pedra pétala rara
carne na matéria doce
ou mesmo apenas fosse
esse teu olho que me molha
quando me entregas do mar
toda alga que me trouxe

artur gomes
TV Fulinaíma




terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

IndiGesto 21

artur gomes - foto: wellington cordeiro

sempre lembrei teu nome
como alguma praia de areias claras
com uma ostra e o vento
os corais de búzios
ou um rio de ostras
e um marisco aceso
nesse mar em chamas

sempre gozei teu nome
quando a minha fome
era de amor  - incesto
esse meu grande vício
minha infinita droga
quando sem ela eu mato
estando sem ela morro

mesmo indigesto
se eu te pedir socorro
chame algum bombeiro
ou se quiser grite a polícia
mas não me furte essa delícia
de poder comer em tua mesa
ou de dormir em tua cama

arturgomes
TV Fulinaíma

alguma poesia


um passeio poético com Artur Gomes pelo Largo do Machado, Lapa e Parque das Ruínas em Santa Teresa com câmera de - Jiddu Saldanha e trilha sonora de Fil Buc


alguma poesia 


 não. não bastaria a poesia deste bonde
que despenca lua nos meus cílios
num trapézio de pingentes onde a lapa
carregada de pivetes nos seus arcos
ferindo a fria noite como um tapa
vai fazendo amor por entre os trilhos.
não. não bastaria a poesia cristalina
se rasgando o corpo estão muitas meninas 
tentando a sorte em cada porta de metrô.
e nós poetas desvendando palavrinhas
vamos dançando uma vertigem
no tal circo voador.

não. não bastaria todo riso pelas praças
nem o amor que os pombos tecem pelos milhos
com os pardais despedaçando nas vidraças
e as mulheres cuidando dos seus filhos.

não bastaria delirar Copacabana
e esta coisa de sal que não me engana
a lua na carne navalhando um charme gay
e uma cheiro de fêmea no ar devorador
aparentando realismo hiper-moderno,
num corpo de anjo que não foi meu deus quem fez
esse gosto de coisa do inferno 
como provar do amor no posto seis
numa cósmica e profana poesia
entre as pedras e o mar do Arpoador
uma mistura de feitiço e fantasia
em altas ondas de mistérios que são vossos

não. não bastaria toda poesia
que eu trago em minha alma um tanto porca,
este postal com uma imagem meio Lorca:
um bondinho aterrizando lá na Urca
e esta cidade deitando água
em meus destroços
pois se o cristo redentor  deixasse a pedra
na certa nunca mais rezaria padre-nossos
e na certa só faria poesia com os meus ossos.

Artur Gomes
In Couro Cru & Carne Viva
Prêmio Internacional de Poesia - Quebec - Canadá 1987
TV Fulinaíma
www.youtube.com/tvfulinaima 

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

PL 25/11: moradias ainda em fase de projeto para 8 mil famílias que serão desapropriadas

Mesmo diante de grande relutância da população, a Prefeitura de São Paulo caminha a passos largos para a construção de um túnel que ligará a Avenida Jornalista Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes e desapropriará milhares de famílias. O Projeto de Lei 25/11 é uma atualização na lei 13.260, assinada por Marta Suplicy em 2001, que previa reassentamento da população de 16 comunidades de baixa renda dentro do perímetro da operação urbana.
São Paulo - Objeto de muita contestação por parte da população da região, mudanças na Operação Urbana Água Espraiada desapropriarão 28 mil moradores. Enquanto a lei 13.260, assinada em 28 de dezembro de 2001, previa a construção de um túnel de 400 metros de extensão e o reassentamento das famílias no perímetro da operação urbana, o Projeto de Lei 25/11 prevê a construção de um túnel de 2400 metros e apenas quatro mil moradias dentro do perímetro. 

As moradias restantes serão construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, órgão do Governo do Estado, fora do perímetro e ainda não têm prazo para entrega. Nenhuma secretaria estipula prazo para entrega de casas ou assistência. Entretanto, já correm os 180 dias (contados de outubro passado) definidos pela juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 4ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, para que a população da Favela Vietnã desocupe a área.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) concedeu Licença  Ambiental Prévia (LAP) para a construção após uma deliberação do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cades), no último dia 10. O resultado da votação foi de 22 votos a favor do projeto, quatro contra e duas abstenções. Luiz Ferrua, da Associação dos Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados (Sajape) e membro do Conselho Consultivo do Cades, foi um dos que votaram contra a obra: “A própria Prefeitura deu um exemplo infeliz para nós, do Conselho. Disse que faria como nas imediações da Av. Roberto Marinho, perto da Ponte Estaiada, onde fizeram prédios. Mas a construção dos prédios só começou cinco anos depois de a ponte ficar pronta. 
Ora, faça primeiro a intervenção social, depois construa o túnel.” Sobre a deliberação, Luiz afirma: “Todos que votaram a favor eram funcionários públicos, ligados à Prefeitura”.
Segundo a SVMA, “o aspecto mais importante dessa obra de reurbanização é a construção de moradias seguras para mais de 8 mil famílias que estão atualmente em áreas de risco sobre a várzea e sobre o próprio rio [a assessoria diz que são construções em palafita]. Os terrenos são todos no entorno do parque e na região.” A CDHU, no entanto, informa que apenas 746 moradias estão em fase de projetos.

O Movimento Não Desapropriação, criado pelos moradores que contestam o PL 25/11 e demandam que a lei 13.260 seja obedecida, já convocou audiências públicas e manifestações, além de manter os blogshttp://aguaespraiada.blogspot.com/ e http://tragediasocialjabaquara.blogspot.com/. Os moradores alegam que o aumento orçamentário da prefeitura para 2012, previsto em mais de R$ 2bilhões, seria mais do que suficiente para a construção de 17 quilômetros de metrô, obra que dispensaria a construção do túnel.

Em 2010, quando o PL 25/11 ainda aguardava votação na Câmara dos Vereadores, Elton Santa Fé Zacarias, secretário de Infraestrutura Urbana, prometeu que a via expressa estaria pronta no início de 2013. Perguntado sobre os projetos de urbanização naquela época, disse: “Tem que construir apartamento, tirar população de lá, levar para um aluguel, depois construir apartamento definitivo, eu acho que leva uns quatro anos”.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF

 

Regulamento e Ficha de Inscrição aqui: 


1

eu quebrado por você sou estilhaços no lago púrpura
lá entre nós e calos, sou esta enxurrada que invade
eu/ aquele que vem com faunos de flautas e flechas
sou o mesmo wilmar silva de mil diamantes nos olhos
e mesmo que haja asas de arribação na mira da boca:
o que faço com esta língua  na mina de sangue/
vem agora um ouriço com vestígios de godiva,
eu/ sou este cavalo com escamas e crinas
e cascalho para cavalgar um corpo distante/
mais que esta noite com centelhas de sêmens
que nascem entre meus dedos de sonhos/ eu

2

/eu que venho com um ramalhete de espinhos na carne
derramo lâminas e facas nos olhos dos pés,
ainda sim/ serro um pássaro/ de asas nos braços
coiote eu/ hiena nasce de um rio sem margem,
piscoso envenenado de tanto mergulhar na terra
eu perdido no escuro da madrugada atrás de você
um ermo eu: uma ave ferida  no ermo eu:
apenas um caçador alcança a lontra no dorso
sou eu este que em armado de flechas e dardos/
para um flecha presa no umbigo a minha língua
para um dardo derretido na virilha a boca de beijos

3

esta boca de onde nascem feros e falos/ e lábios
que cortam os ramos da cintura, púbis, pênis,
mais que lançar minhas coxas e meu pescoço/ sonho
caçar mulas que habitam pântanos nas orelhas
para dizer um potro de pedra mais que medra
é todo campo que rumina nos campos do abandono:
longe m lobo eu no escuro/ um lobo eu faminto
distante, mais distante que a distância de nós,
mesmo com um rio com mil poços e mil peixes
sou este que brame no desespero de cigarra
um grilo com aquele cricri e depois/ para

wilmar silva
in estilhaços no largo púrpura

TV Fulinaíma

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

edvaldo santana - quarteto ao vivo

E o espetáculo continua nessa terça feira dia 14 de fevereiro as 21h30 no Melograno que fica na Rua Aspicuelta, 436-Vila Madalena-SP. Vou estar acompanhado de Luiz Waack-guitarra e viola, Reinaldo Chulapa-baixo e Ricardo Garcia-percussão. Apresentarei músicas do novo álbum Jataí e também canções dos cds anteriores. A entrada é franca e quem quizer pode chegar. Informo que o download gratuíto do cd "Jataí" está disponivel no site www.edvaldosantana.com.br


Hasta la vista !!!
Acesse o site:
http://www.edvaldosantana.com.br

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

walter carvalho confirma presença no 1º Festival Nacional de Cinema do IFF



Sobre o entrevistado: Walter Carvalho é fotógrafo e cineasta, atualmente um dos diretores de fotografia mais requisitados do cinema brasileiro. É recordista de prêmios Candangos no Festival de Brasília e assinou a fotografia de Central do Brasil, Carandiru, Chega de saudade, Lavoura Arcaica, Abril Despedaçado, Bicho de 7 Cabeças, Budapeste e outros.

novo grupo de filososfia com Viviane Mosé

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Os Novos Imigrantes



http://tvbrasil.org.br/brasilianas/

Em seis meses a imigração cresceu 50% no Brasil, segundo dados do Ministério da Justiça, em comparação com o total de entradas verificado no final do ano de 2010. Para completar, o número de brasileiros vivendo em outros países também diminuiu sensivelmente, de 4 milhões, em 2004, para 2 milhões, atualmente.

O Brasilianas.org discute Os Novos Imigrantes . Como a criação de um ambiente de tolerância e democracia ajudou na construção de civilizações, como os Estados Unidos, e qual a experiência brasileira. Também serão abordados os momentos que ajudaram o Brasil a se desenvolver, com o auxílio do conhecimento e da força de trabalho dos imigrantes; e quais são os movimentos migratórios de hoje no país, principalmente na questão de importação e exportação de cérebros, para o desenvolvimento de conhecimento científico.

Para discutir o assunto, o jornalista Luis Nassif recebe o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Glaucius Oliva ; o professor do Centro de Comunicação e Letras do Mackenzie e especialista em imigração, Frederico Alexandre de Moraes Hecker ; e a presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader .

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF (Instituto Federal Fluminense de Ciência e Tecnologia)




1º Festival nacional de Cinema do IFF
Inscrições para as Mostras Competitivas até 1º de Março
Inscrições para Mostras Não Competitivas abertas permanentemente

Regulamento e Ficha de Inscrições aqui http://portalfulinaima.blogspot.om


Jura Secreta 13

o tecido do amor já esgarçamos 
em quantos outubros nos gozamos 
agora que palavro itaocaras 
e persigo outras ilhas 
na carne crua do teu corpo 
amanheço alfabeto grafitemas 
quantas marés endoidecemos 
e aramaico permaneço doido e lírico 
em tudo mais que me negasse 
flor de lótus flor de cactos flor de lírios 
ou mesmo sexo sendo flor ou faca fosse 
hilda hilst quando então se me amasse 
ardendo em nós salgado mar 
e olga risse 
olhando em nós
flechas de fogo se existisse 
por onde quer que eu te cantasse
ou amavisse

arturgomes

Dilma no Haiti: menos tropas, mais investimentos


Em visita oficial a Porto Príncipe, Dilma Rousseff anuncia saída gradual de militares brasileiros das força de paz da Nações Unidas. Retirada, decidida pelo Conselho de Segurança da ONU, começa em março mas só deve ser concluída em cinco anos. Segundo ela, Brasil tem compromisso com desenvolvimento haitiano e vai mobilizar empresários para investir no país.

Porto Príncipe – O Brasil começa em março a retirar parte das tropas que mantém no Haiti desde 2004 e compõem forças de paz das Nações Unidas, a Minustah. E criará um fórum de empresários para analisar oportunidades de investimento na economia haitiana. Esse é o saldo da viagem que a presidenta Dilma Rousseff fez ao país caribenho nesta quarta-feira (1), depois de visita a Cuba.

A primeira etapa de retirada das tropas vai repatriar 288 militares brasileiros que reforçaram a missão depois do terremoto que devastou o país em janeiro de 2010. 

A redução do contingente - não só do Brasil, mas da Minustah em geral - foi aprovada no ano passado pelo Conselho de Segurança da Nações Unidas, numa proposta feita à ONU por Estados Unidos e Canadá, segundo fonte do governo que participou da visita de Dilma.

[A redução] Reflete a nova situação de segurança e estabilidade no Haiti”, disse Dilma, em declaração oficial ao lado do presidente haitiano, Michel Martelly, depois de reunião entre ambos durante a parte da manhã no Palácio Nacional, sede do governo local. 

À tarde, Dilma foi até o quartel-general das tropas brasileiras, para conhecê-las. Em discurso para cerca de 300 militares, ela prestou homenagem aos que morreram no trágico terremoto. Disse que o Brasil acredita no diálogo como instrumento de construção da paz e que respeita a soberania alheia. 

Pouco antes, Martelly também havia se dirigido ao batalhão para agradecê-lo, mas disse também que espera um dia falar apenas para militares de seu próprio país. 

Para Dilma, embora ainda tenha desafios, o Haiti começa a mostrar “avanços nas instituições e na infra-estrutura” e “qualidade” democrática, o que dá segurança para que a ONU já possa deixar os haitianos governarem e decidirem seu futuro sozinhos. 

Uma comissão mista, formada por Haiti e ONU, será criada para examinar os efeitos, no longo prazo, da retirada das tropas, que ocorrerá de forma gradual.

A Minustah possui cinco mil homens, dos quais 2,2 mil brasileiros, o maior contingente (18 países participam da frente). Na declaração ao lado de Dilma, Marchelly disse que os dois governos vão trabalhar juntos para construir um calendário de retirada das tropas. 

A extinção completa da frente deverá levar pelo menos cinco anos. Segundo a fonte do governo que falou à reportagem, o Brasil, por entendimento da ONU com o governo haitiano, será o último país a se retirar, pois lidera a missão de paz.

Além das tropas militares, existem ainda cerca de três mil policiais, oriundos de 64 países. Estes policiais também vão começar a deixar o Haiti este ano. O Brasil se ofereceu para treinar 100 haitianos para atuar como policiais, numa tentativa de ajudar o país a estruturar sua segurança pública.

Investimentos públicos e privados

Ao mesmo tempo em que formalizou o início da retirada das tropas, Dilma aproveitou a declaração com Martelly para, nas palavras dela, reafirmar o “compromisso do Brasil com o processo de desenvolvimento do Haiti”. 

Por isso, ela destacou o apoio e os investimentos que o Brasil já faz no país, em áreas como geração de energia, reconstrução de estradas, produção da agricultura familiar e consolidação de uma rede hospitalar – esta em parceria com Cuba.

Além disso, Dilma disse que o governo ajudará a organizar um fórum de empresários para examinar possibilidades de negócio no Haiti. Segundo ela, esse tipo de incentivo é particularmente importante agora.

“Na atual crise econômica mundial, países mais vulneráveis necessitam de atenção redobrada, sob pena de serem ainda mais injustamente castigados”, afirmou Dilma. “Não podemos permitir que seja interrompida a trajetória de recuperação do Haiti, em parte obtida à custa dos duros esforços com reconstrução que levou ao crescimento de 6% em 2011.”

Na reunião que tiveram, Michel Martelly pediu mesmo que o Brasil ajude a levar mais dinheiro e investimentos ao país, como falou abertamente na declaração ao lado de Dilma.

Segundo ele, o Haiti pode ser uma plataforma exportadora interessante para indústrias brasileiras, como as do ramo têxtil, que poderiam vender aos EUA com vantagens alfandegárias. 

Mencionando a relação de Dilma com a Petrobras – ela já foi presidente do conselho da petroleira -, e pediu que a estatal invista na produçào de etanol e biodiesel no Haiti.

Também pediu que o Brasil ajude a estrutura um programa de combate à fome, nols moldes do extinto Fome Zero, proposta para a qual Dilma deu sinal verde.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

vamos mais que a vida

vídeo produzido na Oficina Cine Vídeo do IFF com trilha sonora de Madan.

Continuam chegando inscrições para o
1º Festival nacional de Cinema do IFF
Que será realizado de 16 a 20 de Abril de 2012-02-01 no Campus Campos Centro em Campos dos Goytacazes-RJ
Inscrições par as Mostras Competitivas até 1º de Março
Inscrições para Mostras Não Competitivas abertas permanentemente
Regulamento e ficha de inscrição aqui www.portalfulinaima.blogspot.com


maiores informações:
artur gomes
professor da oficina cine vídeo
Curador do 1º Festival Nacional de Cinema do IFF
fulinaíma produções
(22)9815-1266

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná