quinta-feira, 29 de agosto de 2013

4º Circuito Cultural de Arte Entre Povos


4º Circuito de Arte Entre Povos

Depois de iniciarmos nossa jornada no dia 8 de agosto de 2013 em Bom Jesus do Itabapoana, e passarmos pelas cidades de Apiacá-ES, Itaperuna-RJ, Laje do Muriaé-RJ, Cachoeiro do Itapemirim-ES com a caravana do 4º Circuito Cultural de Arte Entre Povos, levando na bagagem além de shows com música, poesia, teatro e mostras de cinema, e contação de histórias, além de Oficinas com multi-linguagens, a partir do dia 1 de setembro estaremos circulando pelas cidades mineiras de Pedra Dourada, Itaguara Manhuassu e Mutum.

A caravana do 4º Circuito Cultural de Arte Entre Povos, tem em seu elenco o cineasta argentino Carlos Pronzato, o músico e trovador chileno Pablo Trova, a escritora capixaba Maria Elvira Taveres Costa, o artista plástico cubano Francisco Rivero, o poeta, ator e vídeo maker brasileiro Artur Gomes, o produtor de curtas metragens em novas mídias Tom Lourenço e o fotógrafo brasileiro Cimar Pinheiro.

Atualmente nos encontramos no Vale do Caparaó, em Guaçuí-ES, onde amanhã visitaremos o Patrimônio da Penha, onde vive uma comunidade ligada ao Santo Daime, e no sábado visitaremos o Parque Nacional de Caparaó, onde as serras capixabas beijam o colo das Minas, e por fim dia 1 de setembro rumamos para Pedra Dourada-MG.

O Circuito Cultural de Arte Entre Povos, tem como mentor e coordenador o Dr. Gino Bastos, além de contar também em sua caravana com Rosane Brandão (nossa incentivadora), João Bosco Figueiredo Côgo, Rita de Cássia Côgo, Elizete Maria da Silva, Adriana Peixoto Gonçalves, Maria Auxiliadora, Lucilia Stanzani e Gelson e Irênio, companheiros da Editora Incerta, que tem nos acompanhado em nossa feliz jornada.

Esfinge

poema de Artur Gomes musicado por Rodrigo Bittencourt e grvado por Daniela Rauen, no CD Qualquer Lá, lançado com show no Teatro Renascença em Porto Alegre - 2011

o amor 
não e apenas um nome 
que anda por sobre a pele 

um dia falo letra por letra 
no outro calo fome por fome 
é que a flor da minha pele
consome a pele do meu nome

cravado espinho na chaga 
como marca cicatriz 
eu sou ator ela esfinge 
ana alice/beatriz 

assim vivemos cantando 
fingindo que somos decentes 
para esconder o sagrado 
em nosso profanos segredos 

se um dia falta coragem 
a noite sobra do medo 

na sombra da tatuagem 
sinal enfim permanente 
ficou pregando uma peça 
em nosso passado presente 

o nome tem seus mistérios 
que se escondem sob panos 

o sol e claro quando não chove 
o sal e bom quando de leve 
para adoçar desenganos 
na língua na boca na neve 

o mar que vai e vem 
não tem volta 

o amor é a coisa mais torta 
que mora lá dentro de mim 
teu céu da boca e a porta 
onde o poema não tem fim 


artur gomes 
Fulinaíma Produções 

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

4º Circuito Cultural de Arte Entre Povos



4º Circuito Cultural de Arte Entre Povos



Fulinaimagem

1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis copacabana
procuro um mix da guitarra de santana
com os espinhos da rosa de Noel

artur gomes
TV Fulinaíma


artur gomes e Ana Gabrielle

fulinaimânica: jura não secreta


quero dizer que ainda arde
tua manhã em minha tarde
a tua noite no meu dia
tudo em nós que já foi feito
com prazer inda faria

quero dizer que ainda é cedo
inda tenho um samba-enredo
e tudo em nós é carnaval
é só vestir a fantasia
quero ser teu mestre-sala
e você porta/bandeira
quando chegar na quarta-feira
a gente inventa outra fulia

Victória Tupini - foto: artur gomes

meta metáfora no poema meta

como alcançá-la plena
no impulso onde universo pulsa
no poema onde estico plumo
onde o nervo da palavra cresce
onde a linha que separa a pele
é o tecido que o teu corpo veste
como alcançá-la pluma
nessa teia que aranha tece
entre um beijo outro no mamilo
onde aquilo que a pele em plumo
rompe a linha do sentido e cresce
onde o nervo da palavra sobe
o tecido do teu corpo desce
onde a teia que o alcançar descobre
no sentido que o poema é prece

artur gomes

domingo, 18 de agosto de 2013

Circuito Cultural Arte Entre Povos


4º  Circuito Cuiltural de Arte Entre Povos

Nossa expedição se iniciou no último dia 8, no Espaço Cultural Luciano Bastos, em Bom Jesus do Itabapoana-RJ. Foram 3 dias de muita música, poesia, teatro, dança, fotografia e cinema. 

Esses dias de convivência com Gino Bastos(mentor e coordenador do circuito), Carlos Pronzato(cineasta argentino), Pablo Trova(músico cantor e trovador chileno), Francisco Rivero(artista plástico cubano), Tom Lourenço(cineasta capixaba), Maria Elviera(contadora de histórias capixaba), Luciria, Elizete, Gelson e Irênio(editora Inverta), os atores da cia Inverta de teatro, e todos os alunos e professores das Escolas que passamos até gora em Apiacá e no IFF Campus Itaperuna, tem sido uma experiência enriquecedora, nos possibilitando um diálogo com pessoas de uma região fora do eixo Rio/São Paulo, onde os contrstes são tão gritantes como em qualquer outra região do país.

No domingo dia 11 no passeio cultural que fizemos pelos distritos de Bom Jesus do Itabapoana, Santa Maria, Pirapitinga, Carbuçu, Calheiros e Rosal, não posso deixar de mencionar seu Eduardo Rosa, que há 20 anos na Usina Santa Maria, mora no Teatro e Cinema Conchita de Moraes, o que evitou a sua total depredração. Bem como não podemos deixar de meniconar o empenho do Dr. Gino Bastos, para a criação da Associação dos Amigos do Teatro cinema Conchita de Moraes, o que irá possibilitar a sua total restauração.
A passagem pelo IFF Campus Itaperuna, nos últimos dias 15 e 16, serviram para reafirmar algumas das minhas convicções, e me deram a oportunidade de conhecer duas colegas de trabalho sensacionais, Maria Celia e Beth, além de uma galera de alunos de raro talento para a Arte, Thamy Machado, Pedro Mello, Ana Gabrielle Coelho, por pedido deles improvisei uma Oficina de Fotografia e Vídeo que já vem dando o que falar aqui no face.

Este final de semana estamos nos deliciando na Estância bucólica de Raposo, e daqui amanhã seguimos para mais Oficinas, Palestras, Música, Contação de Histórias  e exibições de curtas em Laje do Muriaé-RJ onde seremos recepcionados por Maria Beatriz Brisa do Mar. E no dia 22 partimos par a capital secreta da mundo, Cachoeiro do Itapemirim-ES terra do genial Sérgio Sampaio e de um Rei nem tanto.


Artur Gomes

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

remix fulinaímico



VeraCidade 

por quê trancar as portas 
tentar proibir as as entradas 
se já habito os teus cinco sentidos 
e as janelas estão escancaradas? 

um beija-flor desenha no espaço
algumas letras de um alfabeto grego
signo de comunicação indecifrável.

eu tenho fome de terra
e esse asfalto sob a sola dos meus pés
agulha nos meus dedos.

quando piso na augusta
o poema dá um tapa na cara da paulista
flutuar na zona do perigo
entre o real e o imaginário

joão guimarães rosa caio prado martins fontes
um bacanal de ruas tortas

eu não sou flor que se cheire
nem mofo de língua morta
o correto ficou na cacomanga
matagal onde nasci

com os seus dentes de concreto
são paulo é quem me devora
e selvagem devolvo a dentada
na carne da rua aurora.




Artur Gomes 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Alô Bom Jesus Estamos Chegando


Alô Bom Jesus Estamos Chegando




Jura secreta 14 

eu te desejo flores 
lírios brancos margaridas 
girassóis rosas vermelhas
e tudo quanto pétala
asas estrelas borboletas
alecrim bem-me-quer e alfazema

eu te desejo emblema
deste poema desvairado
com teu cheiro teu perfume
teu sabor teu suor tua doçura

e na mais santa loucura
declarar-te amor até os ossos

eu te desejo e posso :
palavrArte até a morte
enquanto a vida nos procura





quarta-feira, 7 de agosto de 2013

fulinaíma cine vídeo poesia


black billy

ela tinha um jeito gal
fatal – vapor barato
toda vez que me trepava as unhas
como gato
cantar era seu dom
chegava a dominar a voz
feito cigarra – cigana ébria
vomitando doses do seu canto

uma vó vez subiu ao palco
estrela no hotel das prateleiras
companheira de ratos
na pele de insetos
praticando a luz incerta
no auge do apogeu

a morte não é muito mais
que um plug elétrico
um grito de guitarra uma centelha
logo assim que ela começa
algo se espelha
na carne inicial de quem morreu

artur gomes gumes

In CarNAvalha Gumes – collagens 
– PORTIFÓLIO – 1995
Gravada no CD fulinaíma sax blues poesia - 2002


La Vie En Bleu
http://www.youtube.com/watch?v=O7i9KfQnCk0&feature=c4-overview&list=UU3d8xoVqrdTDFZ2dKIfRanQ
www.carnavalhagumes.blogspot.com







Goitacá Boy



ando por são paulo meio araraquara
a pele índia do meu corpo
em sua carne clara

juntei meu goitacá seu guarani
tupy or not tupy
não foi a língua que ouvi
na sua boca caiçara

para falar para lamber para lembrar
de sua língua
arco íris litoral como colar de uiara
é que eu choro como a chuva curuminha
mineral da mais profunda lágrima
que mãe chorara

para roçar para cumer para tocar
na sua pele urucum de carne osso
minha língua tara
sonha lamber do seu almoço
e ainda como um doido curuminha
a lamber o chão da Guanabara




Artur Gomes/ Naiman








SampleAndo 


o poema pode ser um beijo em tua boca
carne de maçã em maio
um tiro oculto sob o céu aberto
estrelas de neon em vênus
refletindo pregos no meu peito em cruz

na paulista consolação na água branca barra funda
metal de prata desta lua que me inunda
num beijo sujo como a estação da luz

nos vídeosfilmes de TV
eu quero um clipe
nos teus seios quentes
uma cilada em tuas coxas japa
como uma flecha em tuas costas índia
ninja, gueixa eu quero a rota teu país ou mapa

teu território devastar inteiro
como uma vela ao mar de fevereiro
molhar teu cio e me esquecer na lapa


Artur Gomes - SampleAndo

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

4º Circuito de Arte Entre Povos


ARTE ENTRE POVOS 2013 – Itaperuna.

15/08
14h – Abertura do evento no IFF Itaperuna.
14:30 – Mesa- redonda: 100 anos de Rubem Braga.
Mediador: Professor João Felipe Barbosa Borges.
.
Componentes da mesa:
·         Poeta Artur Gomes;
·         Escritora Maria Elvira Tavares Costa; 
·         Coordenadora de grupo teatral Gleiciane Lage;
·         Professora Fabiana Carvalho.

15:30 – Oficinas:
* Artes Plásticas para Mulheres Mil com o artista cubano Francisco Rivero;
* Filme e debate com o cineasta argentino Carlos Pronzato para turmas de turismo;
* “Força popular chilena” com o músico chileno Pablo Trova para as turmas do CELIFF;
* Catálogo de fotos para divulgação com o fotógrafo Cimar Pinheiro para Mulheres Mil.

17:30 – Lanche

18h – Apresentação do grupo de teatro do IFF Itaperuna.
18:30 – Apresentação musical com a professora Fabiana Carvalho.
19h – Lançamento do livro da escritora Maria Elvira Tavares Costa.
19:30 – Apresentação musical  com o chileno Pablo Trova.
20h - Apresentação do grupo de teatro LUDÔ.
20:30 - Apresentação musical com Arruda e Jorge.     
22h – Encerramento das atividades.

16/08

9:30 - Oficinas:
* Turismo através da lente fotográfica com Cimar Pinheiro para Turismo I;
* “Contando estórias” com Maria Elvira, na E.M. Águas Claras;
* Artes plásticas com Francisco Rivero na E.M. Ligiero;
* “Versos que encantam” sob a coordenação do poeta Artur Gomes.
14h – Oficina de fotografia com o turismo II
        15h – Exposição na Praça da Concha Acústica (Mulheres Mil).

19h – Apresentação musical do IFF Itaperuna.
19:30 – Apresentação musical  com o chileno Pablo Trova.
20h - Apresentação musical: Madrigal Sem Sair do Tom e do Coro IFF – Guarus.
20:30 - Apresentação musical com Kadim Duedel.

may pasquetti musada minhacannon


juras secreta 22

beberei em teu sorriso
licores do céu da tua boca
mesmo suja de baton ou louca
em nossa sede visceral
quero teu cio baby
tuas dádivas de Vênus
amor é mais nunca de menos
que seja a vinho gin ou coca
que seja a ópio ou serpentina
lança perfume ou cafeína
beber teus olhos minha sina
em noites quaisquer de carnaval



 
         may pasquetti musadaminhacannon


meta metáfora no poema meta

como alcançá-la plena
no impulso onde universo pulsa
no poema onde estico plumo
onde o nervo da palavra cresce
onde a linha que separa a pele
é o tecido que o teu corpo veste

como alcançá-la pluma
nessa teia que aranha tece
entre um beijo outro no mamilo
onde aquilo que a pele em plumo
rompe a linha do sentido e cresce
onde o nervo da palavra sobe
o tecido do teu corpo desce
onde a teia que o alcançar descobre
no sentido que o poema é prece

arturgomes
aqui vídeo e poesia


o amor um dia vem
não importa de onde nem de quem

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná