terça-feira, 29 de abril de 2014

quando penso

foto: Artur Gomes - Arpoador - Rio de Janeiro

quando penso o que não posso
me dá um troço no desassossego


Bruna Tinoco - lembrando Iracema


este rio claro que em mim deságua
vem lá das minas do teu ser profundo

quem dera eu fora o grande ser drummundo
outro rio eu faria com teus olhos d´água



arturgomes




foto: Artur Gomes - Carol e Layara na porta de casa



fulinaímica

não sei se escrevo tanto
não sei se escrevo tenso
um fio elétrico suspenso
com tanta coisa no Ar
não sei se olho em teu olho
pra encontrar a entrada
da porta da tua casa
onde a palavra estiver
não sei se pinto um van gog
ou se escrevo um boudeler

Artur Gomes
www.pelegrafia.blogspot.com





os dentes do cão sem plumas
João me ensinou o norte

não tenho medo da morte
eu tenho os dentes da pedra
eu tenho o gumes da faca
teu olho não me Fedra
tua língua não me mata

Artur Gomes



Sampa - exposição no CCBB - foto: Artur Gomes


VeraCidade 

por quê trancar as portas 
tentar proibir as as entradas 
se já habito os teus cinco sentidos 
e as janelas estão escancaradas? 

um beija-flor desenha no espaço
algumas letras de um alfabeto grego
signo de comunicação indecifrável.

eu tenho fome de terra
e esse asfalto sob a sola dos meus pés
agulha nos meus dedos.

quando piso na augusta
o poema dá um tapa na cara da paulista
flutuar na zona do perigo
entre o real e o imaginário

joão guimarães rosa caio prado martins fontes
um bacanal de ruas tortas

eu não sou flor que se cheire
nem mofo de língua morta
o correto ficou na cacomanga
matagal onde nasci

com os seus dentes de concreto
são paulo é quem me devora
e selvagem devolvo a dentada
na carne da rua aurora.

Artur Gomes 
www.goytacity.blogspot.com 



Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná