quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

1968 - a traição das metáforas


com os dentes cravados na memória

1968 - a traição das metáforas

 macabea perambulava pelos corredores do presídio federal de brazilírica. o mar não está pra peixe. macabea saiu da praia olhando para baixo do umbigo sua última encenação das artes cínicas foi o fracasso da raça. na gráfica me pediu para da Escola Técnica Federal de campos me pediu para imprimir santinhos pro seu candidato a direção do presídio, como o meu candidato era outro não pude atender o seu pedido, ela apelou para Biúte o trapezista do circo dos horrores, que deu adeus a estrela que não sobe com um salto mortal e foi aterrizar em montes claros.

 Artur Gomes

Sesc Campos - Programação


- expresso Lapa-Campos –

Délcio Luiz

O Expresso Lapa-Campos traz esse mês o cantor e compositor Délcio Luiz. Nascido no Rio de Janeiro, já participou dos grupos Fundo de Quintal, Raça e Kiloucura. O artista além de cantor se consagra compositor e acumula ao longo dos 25 anos de carreira mais de 500 músicas gravadas e entre elas os sucessos que marcaram época na sua voz e na de outros intérpretes. Atualmente Délcio Luiz está de volta em carreira solo.

 

Dia 5/2, às 20h

Espaço Plural

Grátis. 14 anos
 
 
Música no Sesc
O programa música no Sesc se compromete em apresentar ao público artistas de grande qualidade musical, contemplando uma multiplicidade de ritmos e estilos.
12/2 – Benito Di Paula – um dos principais nomes da música brasileira, o cantor e compositor Benito Di Paula se apresenta pela 1ª vez no Sesc Campos. Em seu show, o cantor carioca irá mostrar ao público, os principais sucessos da sua carreira,  a exemplo das canções “Charles Brown”, “Mulher Brasileira” e “Retalhos de Cetim”, entre outros sucessos memoráveis. 20h. Ginásio Poliesportivo.
 R$3(assoc. Sesc), R$6(estudante, idoso) e R$12. – Ingressos já está a venda no Sesc Campos.
Informações: (22)2725-1210 – Av. Alberto Torres, 397 – centro – www.sescrio.org.br

Mostra de Contadores de Histórias –
A Arte de Ouvir e Contar Histórias
Histórias fascinantes, com as quais o público interage. No Espaço Plural. 11h. Grátis – Livre.
 8/2 – Dona Mocinha no Vaivém da Vida – por meio de contos,  fábulas, ditos populares, Dona Mocinha com seu corpo e voz, desenha e colore bichos e lugares, e assim vai dando vida à imaginação dos seus espectadores. Eis o que move a andarilha: as histórias criadas na imaginação do povo, invenções poéticas que expressam valores e formas de ser e viver. Com a atriz e contadora de histórias Kika Farias.
mais sobre Kika Farias no blog http://kikafarias.blogspot.com.br
 
 
 
 

domingo, 19 de janeiro de 2014

A Arte Educação Pelo Fragmento



RUIDURBANOS: Uilcon Pereira In Memória
A Arte Educação Pelo Fragmento



Em 1995 com o Projeto – Retalhos Imortais do SerAfim – Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim – executado pelo Sesc São Paulo, onde Uilcon Pereira foi um dos protagonistas, aprendi com Oswald a olhar com olhos livres para ver.


E com Uilcon Pereira aprendi a olhar com os olhos livres para V(l)ER


projeto multi mídia para revitalização da memória e re-criação do universo macunaímico de Uilcon Pereira o grande Mestre através de múltiplas linguagens

1. Exposição de poemas gráfico.visuais
2. Performance poético teatrais
3. Oficinas Cine Teatro Poesia
4. Workshops
5. Produção da Cine Novela RUIDURBANOS




os poemas gráfico visuais devem ser enviados para:



Fulinaíma Produções
Rua José Perlingeiro Jr, 26 – Jockey Clube
Campos dos Goytacazes-RJ – 2802-046
Mais informações pelo e-mail portalfulinaima@gmail.com




Artur Gomes
(22)99815-1266
(21)9694-4999




 estrela do curta Baby Cadelinha



baby  cadelinha


curta com poema de Artur Gomes musicado e cantado
por Naiman, filmado em Bento Gonçalves-RS com a participaçãop de Isadora Zecchin www.musadaminhacannon.blogspot.com

devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob o esterco de vênus
onde me perco mais me encontro menos
de tudo o que não sei
só fere mais quem menos sabe
sabre de mim baioneta estética
cortando os versos do teu descalabro

visto uma vaca triste como a tua cara:
 estrela cão meu gatilho morro
a poesia é o salto de uma vara

disse-me uma vez quem não me disse
ferve o olho do tigre quando plasma
letal a veia no líquido do além
cavalo máquina meu coração quando engatilho

 devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob os demônios de eros
onde minto mais porque não veros
fisto uma festa a mais que tua vera

cadela pão meu filho forro
a poesia é o auto de uma fera

devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob os panos quem incesta
perfume o odor final do melodrama
sobras de mim papel e resma
impressão letal dos meus dedos imprensados
misto uma merda a mais que tua garra:

panela estrada grão socorro
a poesia é o fausto de uma farra

artur gomes

sábado, 18 de janeiro de 2014

Artur Gomes no 27 PSIU Poético


Artur Gomes no 27 PSIU Poético
interpretando Torquato neto e Paulo Leminski
Montes Claros-MG – outubro 2013

Agora não se fala mais
Agora não se fala nada
Toda palavra guarda uma cilada

Torquato Neto
http://www.youtube.com/watch?v=7mU2i9AtZcg&feature=youtu.be
Oficina de Poesia Falada e Produção de Vídeo
https://www.facebook.com/oficinapoesiafalada?fref=ts

CarNAvalha
Torquato Neto Re-Visitado

falso fausto é todo aquele
que te defende pela frente
e te ataca pelas costas
odeio falsidade bosta
estou dando adeus desta cidade
procurando outras pessoas
encontrando outros poetas
o meu poema não tem nenhuma
linha reta
tenho só sagaraNAgens
no projeto escriDuro
meu verbo é foda na boneca
"eu sou a mosca que pousou na sua sopa"
- sou o passado do presente
pra desafinar o seu futuro
Artur Gomes


Leve um homem e um boi ao matadouro o primeiro que berrar é o homem, nem que seja o boi – Adeuzão (Torquato Neto)




Fulinaíma Produções – 
Cine Vídeo Teatro Poesia – 
Oficinas - Mostras - Performances –

quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro ou está por fora
quem está por fora
não sustenta um olhar que demora
diante do meu centro
este poema me olha

Paulo Leminski
http://www.youtube.com/watch?v=29ar8LdbF9s&feature=youtu.be

Oficina de Poesia Falada e Produção de Vídeo
Fulinaíma Produções


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

XIX Mostra Internacional de Poesia Visual



Artur Gomes no 27 PSIU Poético 1
Montes Claros-MG - outubro 2013



Fulinaimagem
1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
é fato
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço Jimmi Hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis Copacabana
procuro um mix da guitarra de Santanna
com os espinhos da rosa de Noel


Artur Gomes







além da flor na carne por detrás das transparências invento uma palavra pra falar na  tua boca enterro unhas nas entranhas da paulista augusta ainda dorme no edifício ao lado 18 milhões de boca esperando o gozo ainda não sei dizer se a fome essa pantera su-realista me deixará inteiro até o fim do dia


artur gomes





XIX Mostra Internacional de Poesia Visual
6 a 11 de outubro de 2014 – Bento Gonçalves-RS
Tema: 1964 – 2014 – Um Golpe de Dados na História
Remessa de Poemas Visuais até 1 de setembro para
Caixa Postal 45 – bento Gonçalves-RS – 95700.000
XXII Congresso Brasileiro de Poesia


1º de Abril

telefonaram-me
avisando-me que vinhas
na noite
uma estrela
ainda brigava
contra a escuridão
na rua sob patas
tombavam
homens indefesos
esperei-te 20 anos
e até hoje não vieste
à minha porta

- foi um puta golpe

Artur Gomes

In Suor & Cio – 1984
oficina de poesia falada e produção de vídeo
https://www.facebook.com/oficinapoesiafalada?fref=ts




CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná