quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Poéticas do Amor



Poéticas do Amor

fevereiro pensando Flávia
março gritando Amanda
acelerador fundo no posso
a alma exposta na venda
poesia na flor do osso
como uma colcha de renda



Lavar a Língua

a chuva vem
lava corpo
lava língua
lava alma
se tanta água me acalma
meu rio na direção
da síntese da metafísica da sintática
poema para menina
poema  não é gramática

fosse a menina eu quero
tecido a seda nos dedos
segredos no vale vinhedos
teu corpo luz quem me dera
um arco íris nas mãos

fosse criatura que eu quero
secreta jura sagrada
em meu instante de prece
pelos caminhos de pedras
com uvas por toda pele
vinhos pelos teus poros
beber-te em noites quisera
delírios do coração



Jura Não Secreta


 quero dizer que ainda arde
tua manhã na minha tarde
a tua noite no meu dia
tudo em nós que já foi feito
com prazer ainda faria

quero dizer que ainda é cedo
ainda tenho um samba/enredo
tudo em nós é carnaval
é só vestir a fantasia

quero ser teu mestre/sala
e você porta/bandeira
quando chegar na quarta-feira
a gente inventa outra fulia

Artur  Gomes
foto.poesia




Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná