sábado, 11 de novembro de 2017

com os dentes cravados na memória


Com Os Dentes Cravados na Memória
não sou Pablo Neruda mas - Confesso Que Vivi

Nesta última quinta-feira fiz um post abrindo o baú de memórias com foco nos meus tempos de aluno da ETC/ETFC (Escola Técnica de Campos, Escola Técnica Federal de Campos)  lá pelos idos dos anos 60 do século passado. Instituição hoje denominada IFF(Instituto Federal Fluminense). Cheguei a frisar que refletindo sobre aquele tempo poderíamos entender melhor os dias de hoje.

Aí para vergonha de todos nós, acontece dentro do IFF Campos Campus Centos, acontece esse episódio deplorável de racismo, xenofobia e tantos outros preconceitos ali embutidos praticado por alunos e um professor da  centenária instituição, contra estudantes do IFMaranhão que vieram a Campos para apresentação de um projeto cultural.

Para refrescar a memória de quem se esquece com facilidade, o IIF foi criado em 1909, com o nome de Aprendizes Artífices, por Nilo Peçanha, um campista que na época ocupou a presidência da República. Na certa esses alunos e o professor envolvidos no lamentável episódio não conhecem  nada da História da instituição, que de forma alguma merecem estar ali como alunos e muito menos como professor.

Nos anos 60/70 como não tínhamos a facilidade tecnológica nem a rede de comunicação que temos hoje, muitos acontecimentos dessa época dentro da ETC/ETFC não tinham repercussão fora dos muros da Escola. A cidade não tomava conhecimento. Hoje felizmente, graças as redes sociais, a informação se dá num piscar de olhos.

Com os Dentes Cravados na Memória é um projeto de livro, que pretendo me debruçar sobre ele. Minha vida dentro do IFF se estende de 1961, (quando na ETC me ingressei com aluno do Ginásio Industrial e onde aprendi a ser Linotipista na Oficina de Artes Gráficas), a 2012, depois de ter passado o período de 1986 a 2003 como professor de Teatro. E de 2011 a 2012 ( período em que fui coordenador da Oficina de Criação e Produção de Vídeo, Oficina esta que foi extinta após a minha saída)

Muita água rolou pelo leito do rio Paraíba do Sul de 1961 até os dias atuais. Muita história tenho pra contar vividas nos corredores, nas salas de aula, nos pavilhões de Oficinas, por todo esse período, como aluno e depois como servidor público federal. Alguns filósofos gostam de afirmar que História não ensina nada, mas acho que pelo menos nos faz refletir e compreender melhor o Agora.

cacomanga
ali nasci
minha infância
era só canaviais
ali mesmo aprendi
a conhecer os donos de fazendas
e odiar os generais

Artur Gomes
do livro: Suor & Cio - 1985

www.fulinaimicas2.blogspot.com 

Nenhum comentário:

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Quem sou eu

Minha foto
meu coração marçal tupã sangra tupi e rock and roll meu sangue tupiniquim em corpo tupinambá samba jongo maculelê maracatu boi bumbá a veia de curumim é coca cola e guaraná